Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais

Filipe Gaivão: "Um grupo muito simpático encheu-me o coração de força para continuar"

Ciclista partiu no dia 10 de julho de Bruxelas rumo a Lisboa, numa viagem solidária de bicicleta.
22 de Julho de 2019 às 18:36
Filipe Gaivão: 'Um grupo muito simpático encheu-me coração de força para continuar'
Filipe Gaivão: 'Um grupo muito simpático encheu-me coração de força para continuar'
Filipe Gaivão: 'Um grupo muito simpático encheu-me coração de força para continuar'
Filipe Gaivão: 'Um grupo muito simpático encheu-me coração de força para continuar'
Filipe Gaivão: 'Um grupo muito simpático encheu-me coração de força para continuar'
Filipe Gaivão: 'Um grupo muito simpático encheu-me coração de força para continuar'
Filipe Gaivão: 'Um grupo muito simpático encheu-me coração de força para continuar'
Filipe Gaivão: 'Um grupo muito simpático encheu-me coração de força para continuar'
Filipe Gaivão: 'Um grupo muito simpático encheu-me coração de força para continuar'

Filipe Gaivão, de 57 anos, saiu de Bruxelas no passado dia 10 de julho rumo a Lisboa, numa viagem solidária de bicicleta que visa "dar maior visibilidade às pessoas que sofrem de esclerose múltipla".

"Dizem que é amanhã que vem o calor. Vais estar alerta laranja. Foi isto que eu ouvi durante vários dias, mas nada", conta Gaivão sobre as ameaças de muito calor que se faziam esperar nesta etapa.

"Ontem ao fim da tarde tive a agradável visita de um grupo da Asociación de Familiares y Afectados de Esclerosis Múltple de Burgos (AFAEM) que quiseram agradecer o meu esforço e a passagem por Burgos. Um grupo muito simpático que encheu o meu coração de força para continuar", revela o português que saiu no passado dia 10 de Bruxelas com destino a Lisboa. 

"Hoje mesmo quando comecei trazia-os todos no meu pensamento e quando vi um campo de girassóis em que havia apenas uma flor, lembrei-me das pessoas doentes, porque são diferentes dos outros, não sendo piores ou melhores, apenas vivendo com muito mais dificuldade, mas olhando para o girassol vi a verdadeira beleza interior que há dentro de cada uma destas pessoas. Lembrei-me da conversa da véspera com este grupo de Burgos e da beleza interior que vi nos seus olhos. São um girassol radioso no meio de plantas sem flor. Obrigado girassóis", acrescenta o português que continua na sua viagem solidária para dar maior visibilidade às pessoas que sofrem de esclerose múltipla.

"E cá estava eu na zona de planalto espanhola mantendo uma altitude entre os 800 e os 900 metros, atravessando searas e alguns desfiladeiros ao estilo do Grand Canyon muito típico desta zona. Nas descidas acelerava bem tendo chegado a andar a 70 km mas logo a seguir penava na subida. Mas o calor foi aumentando e eu tentava acelerar para conseguir chegar antes das 15h00 evitando as horas de mais calor. Não consegui esse objectivo. Só cheguei às 15h05 com 36º e parecia que ia continuar a subir. Ainda bem que cheguei", conta Gaivão.

"Agora resta-me a tarefa habitual de lavar a roupa e descansar antes do jantar para que amanhã possa estar em forma e ir até Salamanca onde me encontrarei com alguns dos amigos que me vão acompanhar", concluiu.

Ver comentários