Barra Cofina

Correio da Manhã

Mais CM
5

Fernande Grudet (1923-2015)

'Madame Claude' morreu aos 92 anos.
22 de Dezembro de 2015 às 18:40
Fernande Grudet geriu uma rede de prostituição durante as décadas de 1960 e 1970
Fernande Grudet geriu uma rede de prostituição durante as décadas de 1960 e 1970 FOTO: Getty Images
A proxeneta mais famosa de França, Fernande Grudet, conhecida como Madame Claude e que, nas décadas de 1960 e 1970, geria uma rede de prostituição que servia políticos, altos funcionários e artistas, morreu sábado em Nice, noticiou a AFP.

De acordo com a agência noticiosa France Presse, Fernande Grudet, que faleceu com 92 anos, viveu a última década e meia naquela localidade mediterrânica, tendo permanecido hospitalizada nos últimos dois anos.

Nascida em Angers, no oeste de França, Madame Claude liderou, durante cerca de duas décadas, uma rede com 500 mulheres e alguns homens que se prostituíam por entre 1.500 e 2.300 euros por noite, ficando ela com 30% do ganho, a título de comissão.

Fernande Grudet instalou-se no distrito XVI da capital francesa e, segundo o diário The Huffington Post, nunca revelou a identidade dos seus clientes.

Em 1970, acossada pelas Finanças, que lhe exigiam 11 milhões de francos de impostos, a mulher que dizia não forçar ninguém a trabalhar para ela refugiou-se nos Estados Unidos.

Ao regressar a França, em 1985, convencida de que o seu processo havia prescrito, foi detida, passando quatro meses na prisão.

Reconquistada a liberdade, Madame Claude reativou o negócio, o que lhe valeu, em 1992, uma nova estada no cárcere, sob a acusação de "proxenetismo agravado".

Após esta detenção, Fernande Grudet retirou-se, sozinha, para um pequeno apartamento na Côte d'Azur.
Fernande Grudet Madame Claude morte questões sociais prostituição