Barra Cofina

Correio da Manhã

Mais Sobre
7
Saber mais sobre Coelima
14:40 | 05/06
Nomeada Comissão de Credores da Coelima com CGD a presidir

Nomeada Comissão de Credores da Coelima com CGD a presidir

"O Tribunal constituiu a comissão de credores com cinco elementos. A presidir está a Caixa Geral de Depósitos e engloba também o fundo autónomo de apoio à recuperação de empresas, o Novo Banco, a Segurança Social e um representante dos trabalhadores", adiantou o coordenador do Sindicato Têxtil do Minho e Trás-os-Montes, Francisco Vieira.
20:32 | 23/07
'Título e Escritura' estreia em Guimarães

'Título e Escritura' estreia em Guimarães

Chama-se ‘Título e Escritura’ o novo espetáculo do Teatro Oficina, desta feita em colaboração com a Mala Voadora, e tem estreia marcada para esta quarta-feira, 24 de julho, às 22h00, na Black Box da Fábrica ASA, em Guimarães. Com texto de Will Eno (autor norte-americano vencedor do Horton Foote Prize), o texto coloca em cena “um viajante misterioso que procura uma ligação ou um gesto solidário por parte de quem o ouve”.
01:00 | 29/11
Morre presa com cabelo no tear

Morre presa com cabelo no tear

Maria José Pereira, 50 anos, trabalhava há mais de 20 na fábrica têxtil Coelima, em Pevidém, Guimarães. No sábado passado, ficou com o cabelo preso num tear que terá tentado desencravar. Ficou encarcerada na máquina, sofrendo ferimentos graves na cabeça. Foi transferida para o Hospital de S. João, no Porto, onde acabou por falecer ontem. Deixa viúvo e dois filhos menores.
18:53 | 28/11
Morreu mulher que ficou enrolada pelos cabelos em tear

Morreu mulher que ficou enrolada pelos cabelos em tear

Uma mulher, de 51 anos, que no sábado sofreu ferimentos graves depois de o cabelo se ter enrolado no tear da fábrica têxtil Coelima, de Pevidém, Guimarães, onde trabalhava, morreu esta quarta-feira, no Hospital de S. João, informou fonte próxima. O cabelo enrolou-se no tear e a vítima acabou por ficar encarcerada.
00:30 | 04/06
600 empregos em risco

600 empregos em risco

Seiscentos trabalhadores da Riopele e da Coelima, empresas do sector têxtil, podem ficar sem emprego.<br/>O sindicalista Adão Mendes disse ao CM que tanto a empresa de Famalicão como a de Guimarães “estão em processo de emagrecimento”. <br/>
00:00 | 13/01
Têxtil sem 12 mil empregos

Têxtil sem 12 mil empregos

Portugal perdeu, no ano de 2005, cerca de doze mil empregos no sector têxtil, oito mil dos quais na região do Vale do Ave.
13:00 | 18/01

500 empresas de Braga já fecharam as portas

Os sindicatos querem que o Presidente da República explique, “claramente, que efeitos e impactos positivos” teve, para a economia portuguesa, a viagem realizada à China.
Ver + notícias
Mais notícias