Barra Cofina

Correio da Manhã

Mais Sobre
7
Saber mais sobre Dulce Moreira
00:30 | 22/04
“Devia ter levado a pena máxima”

“Devia ter levado a pena máxima”

Passou o julgamento em silêncio, olhos fixos no chão e cabeça a acenar em sinal de discordância, mas ontem, quando ouviu o juiz aplicar-lhe 19 anos e três meses de cadeia, Alfredo Azevedo chorou e agarrou-se à filha em desespero. Aos 45 anos, foi condenado pelo Tribunal de Júri de Viseu por ter assassinado uma agente imobiliária da cidade, quando esta lhe mostrava um apartamento que fingiu pretender alugar, em Dezembro de 2008.
11:43 | 21/04
19 anos de prisão por ter assassinado agente imobiliária

19 anos de prisão por ter assassinado agente imobiliária

O Tribunal de Júri de Viseu condenou esta quarta-feira um homem, de 45 anos, a 19 anos e três meses de prisão por ter assassinado uma agente imobiliária, quando lhe mostrava um apartamento que alegadamente pretendia alugar, em Dezembro de 2008. Foi condenado ainda ao pagamento de 161 mil euros de danos patrimoniais e morais ao marido e filhos da vítima.<br/>
01:49 | 05/02

Viseu: Homicida ia fugir

Alfredo Azevedo, de 42 anos, que está a ser julgado no Tribunal de Viseu por ter degolado a agente imobiliária Dulce Moreira, 44 anos, em Dezembro de 2008, passou ontem de prisão domiciliária para prisão preventiva por haver a suspeita de que pretendia fugir.<br/>
00:30 | 17/12
Lava-se em ribeira após o homicídio

Lava-se em ribeira após o homicídio

O inspector da PJ que liderou a investigação do homicídio da mediadora imobiliária de Viseu – ocorrido há um ano – disse ontem em tribunal que o suspeito foi lavar-se a uma ribeira e que depois atirou para o lixo a roupa que vestia naquele dia.
00:30 | 16/12
Salvas por sorte

Salvas por sorte

Nos dias que antecederam o crime, Alfredo Azevedo encontrou-se com duas agentes imobiliárias. O Ministério Público está convencido de que poderiam ter sido vítimas do arguido, como aconteceu à sua colega, Dulce Moreira, de 44 anos, roubada e degolada a 15 de Dezembro de 2008, em Viseu. A sorte delas terá sido o facto de, ao contrário da vítima – que levava a carteira quando ia mostrar as casas aos clientes –, terem ido aos encontros apenas com as chaves dos imóveis.
18:47 | 15/12
Suspeito de homicídio em silêncio

Suspeito de homicídio em silêncio

O Tribunal de Júri de Viseu começou esta terça-feira a julgar o homem, de 42 anos, suspeito de ter assassinado uma mediadora imobiliária de Viseu em Dezembro de 2008.
21:00 | 22/09
Rouba e mata para ter dinheiro fácil (ACTUALIZADA)

Rouba e mata para ter dinheiro fácil (ACTUALIZADA)

Sem vontade de trabalhar e "humilhado" pela filha, de cinco anos, que se queixou de ser pobre, Alfredo Azevedo decidiu "procurar uma forma fácil de obter dinheiro", lê-se na Acusação do Ministério Público a que o CM teve acesso. E foi por isso que, no dia 15 de Dezembro de 2008, fingiu querer ver um apartamento para alugar, em Viseu, e combinou encontro com a agente imobiliária Dulce Moreira. Quando a apanhou de costas, na casa de banho, "degolou-a com um objecto cortante" só para lhe roubar 200 euros.
00:30 | 30/12
Prisão do assassino já não pode ser aplicada

Prisão do assassino já não pode ser aplicada

A decisão de uma procuradora adjunta em ordenar a prisão domiciliária para o cadastrado que está indiciado pelo roubo e homicídio qualificado da agente imobiliária de Viseu, degolada pelo assaltante, não pode ser alterada pela Procuradoria Geral da República. Agora só poderá ser reavaliada se a PJ reunir novas provas, podendo a medida de coacção actual, com o suspeito em casa, prolongar-se durante anos.<br/><br/>
22:00 | 29/12
Agente imobiliária degolada por 200 €

Agente imobiliária degolada por 200 €

Dulce Moreira, de 44 anos, foi degolada para lhe roubarem 200 euros. A investigação a cargo da Polícia Judiciária de Coimbra permitiu chegar ao autor do homicídio, um homem de 45 anos, residente também em Viseu, que o Ministério Público entendeu que devia aguardar julgamento em casa. Vai passar o Ano Novo com a família e à porta, ao frio, vai ter dois elementos da GNR para evitar que fuja.
00:30 | 19/12
PJ envolve todos os meios no caso da mulher degolada

PJ envolve todos os meios no caso da mulher degolada

A Polícia Judiciária de Coimbra tinha ontem envolvidos todos os meios da secção de homicídios na investigação à morte da agente imobiliária, em Viseu, e espera obter resultados a muito curto prazo.
Ver + notícias
Mais notícias