Barra Cofina

Correio da Manhã

Mais Sobre
5
Saber mais sobre Parrita
00:30 | 25/03
Diamantino Viseu

Diamantino Viseu

Ele que foi, também, o criador do Fundo de Assistência dos Toureiros.
18:38 | 08/12
Quebra de 5% na temporada tauromáquica

Quebra de 5% na temporada tauromáquica

Baseados nos dados fornecidos pela ANDT (Associação Nacional dos Toureiros) faz-se a análise quantitativa da nossa temporada tauuromáquica em 2013. Apreciemos, então, os números de uma época que foi prejudicada pelas intempéries e também pela crise que o País atravessa, que trouxe problemas a empresas, artistas, ganadeiros e, naturalmente, ao próprio público.
00:00 | 13/09
Aquele público merecia mais

Aquele público merecia mais

Na verdade o público que quase esgotou a praça de Touros Daniel Nascimento, na Moita, no fim de tarde da passada terça-feira – assumindo assim que o toureio a pé em Portugal continua vivo e a interessar a afición – merecia bem mais!
00:00 | 10/05

Aclarar ideias

O toureio a pé em Portugal existe mesmo. Por muito que alguns o pretendam ignorar ou menosprezar. Não tem atrás de si ‘lobby’ de apoio (’Pedrito de Portugal’ encarregou-se de o desperdiçar...), mas é um facto histórico e uma realidade com verdadeiros fundamentos.
00:00 | 07/09
A importância maior dos sentimentos

A importância maior dos sentimentos

Casa completamente cheia. Foi em Estremoz, numa praça portátil grande. Era noite e parecia dia, tal o sorriso das gentes, dentro e fora da arena. ‘Bodas d’ouro’ de um cavaleiro de outros tempos, que soube, logo no primeiro (óptimo, de Cunhal Patrício) provar o que é a lide a cavalo do tempo de sempre... José Maldonado Cortes, pedaço de história (sua e de outros), o esplendor do triunfo do Alentejo no mundo!
00:00 | 23/03
Aconteceu em Barcelona

Aconteceu em Barcelona

O escritor António Osório, no seu livro ‘Ofício dos Touros’, pergunta “afinal de contas, que paixões torrenciais golfam, que mistérios dolorosos se procuram neste espectáculo? Uma bravura maior do que a do touro? Recriar-se com a morte ou ludibriá-la? Subjugar fabulosamente o destino, ao contrário da tragédia grega, daquele sempre vítima? Porventura, quererão os matadores algum prodígio fundamental?”
Mais notícias