Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Associação Cesária Évora diz que espólio da cantora está preservado à espera do museu

No futuro Museu na casa da artista poderão estar expostos trabalhos e a própria carreira de outros artistas cabo-verdianos.
Lusa 17 de Novembro de 2021 às 16:39
Vida de Cesária Évora em série de ficção
Vida de Cesária Évora em série de ficção FOTO: António Cotrim / Lusa
A Associação Cesária Évora assegurou esta quarta-feira que o espólio da artista está preservado, à espera da concretização do Museu Cesária Évora, na sua casa no Mindelo, prometido desde o falecimento da 'diva dos pés descalços', em 2011.

"O maior desejo da associação é ter um lugar digno em São Vicente, onde que todos os que vierem a Cabo Verde procurar por vestígios de Cesária os encontrem em boas condições, num verdadeiro museu. A ideia da associação, que já apresentamos ao Governo e que continuamos com a esperança de um dia ter acesso a algum financiamento, mesmo que internacional, é de que a casa não será só a casa da Cesária", explicou o produtor musical José (Djô) da Silva, presidente da associação.

Cesária Évora nasceu no Mindelo, em 27 de agosto de 1941, cidade onde também morreu, em 17 de dezembro de 2011, sendo considerada, com as suas mornas, a cantora de maior reconhecimento internacional em Cabo Verde.

A Associação Cesária Évora, a família da cantora e várias entidades locais apresentaram esta quarta-feira, no Mindelo, o programa de homenagem à "diva dos pés descalços", que vai decorrer na ilha de São Vicente, Cabo Verde, de 12 a 19 de dezembro, assinalando os 80 anos do seu nascimento e os 10 anos após a sua morte.

Para José da Silva, no futuro Museu Cesária Évora, na casa da artista, poderão estar expostos trabalhos e a própria carreira de outros artistas cabo-verdianos: "E através da Cesária mostrar a cultura de Cabo Verde".

De acordo com o produtor, houve abertura e demonstração de interesse dos governos (três desde 2011), mas até agora sem ações concretas, o que faz com que o projeto se arraste há quase dez anos.

"Tem havido muito interesse, mas não houve ação, por razões, talvez, económicas, mas penso que um dia o projeto irá avançar", afirmou José da Silva.

Um desejado partilhado pela família da cantora, através da neta, Janete Évora: "Não era para a família estar a correr atrás para ter um museu, não era para Djô da Silva estar a correr atrás do museu. Era para termos recebido uma proposta do próprio Estado a querer valorizar quem foi Cesária Évora".

Janete Évora garantiu que a estrutura da casa de Cesária permanece fiel ao tempo da cantora, assim como a disposição dos objetos deixados pela avó.

"Na casa nunca tentamos mexer na estrutura de forma definitiva, porque a ideia inicial era que fosse uma casa museu, por isso tentamos manter ao máximo, à espera do momento", confessou a neta.

Contudo, admite o presidente da associação, a intenção, até esta quarta-feira, não passou das propostas apresentadas aquando do falecimento da cantora.

"Houve várias propostas, a primeira consistia na compra da casa da Cesária com todo o espólio e a discussão durou quase dois anos e por fim não avançou e depois veio o projeto para que o museu fosse feito noutro lugar e isso nunca avançou", lamentou José da Silva.

Do espólio constam os prémios nacionais e internacionais, discos de ouro, materiais que Cesária Évora usava nos concertos, além de todas as matérias que foram escritas sobre a cantora, a sua imagem e documentários.

Ver comentários