Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Angola vai plantar até 2030 perto de mil milhões árvores

Secretário de Estado das Florestas angolano diz que objetivo é construir uma cortina verde e "travar o avanço silencioso do deserto".
Lusa 5 de Outubro de 2022 às 20:17
O secretário de Estado das Florestas angolano destacou esta quarta-feira o megaprojeto para plantação de quase mil milhões árvores, no centro e sul de Angola, até 2030, para construir uma cortina verde e "travar o avanço silencioso do deserto".

André Moda interveio esta quarta-feira, a partir de Luanda, na 26ª sessão do Comité de Silvicultura (COFO26) da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) que arrancou esta quarta-feira em Roma, Itália, até sexta-feira.

O governante angolano disse também que o projeto de plantação de árvores, que visa igualmente minimizar os efeitos da seca "que ameaça rigorosamente a região", tem como meta a plantação de mil milhões de árvores até 2030.

Em declarações à agência Lusa, André Moda salientou que um ensaio decorre já em Luanda, capital do país, na zona dos Ramiros, e no município da Bibala, província do Namibe, para dentro de um mês se arrancar com a primeira fase da campanha na província da Huíla, com a meta de plantação de 700 árvores.

Segundo o secretário de Estado para as Florestas, o programa de massificação de plantação de árvores abrange além da Huíla as províncias do Cunene, Namibe e Benguela, por um período que vai até 2025, contando com a colaboração da organização não-governamental Ochiva.     

Na sua intervenção, André Moda realçou que Angola está engajada no alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), tendo para o efeito desenvolvido diversas ações de âmbito político e legislativo, que vão desde a aprovação de uma política florestal e vários instrumentos técnicos e legais, destacando a Lei de Base de Florestas e Fauna Selvagem.

O secretário de Estado para as Florestas realçou ainda o Inventário Florestal Nacional que contou com o apoio técnico e financeiro da FAO, o Programa de Prevenção e Combate aos Incêndios e Queimadas Florestais e o Programa de Gestão Integrada dos Ecossistemas Florestais do Miombo entre as ações do Governo.

O COFO26 decorre com o objetivo de fornecer uma plataforma de intercâmbio e diálogo entre os participantes e dar a direção estratégica para o futuro trabalho da FAO em silvicultura.

Angola Luanda Florestas André Moda COFO26 FAO Namibe Huíla política questões sociais governo (sistema)
Ver comentários