Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

"Clube do povo" na Argélia troca festa do centenário por oxigénio para doentes Covid

Numa reunião recente para preparar o aniversário, os apoiantes argelinos decidiram, dado a agravamento da crise sanitária na Argélia, dar prioridade aos doentes.
Lusa 1 de Agosto de 2021 às 18:00
Doentes hospitalizados com Covid-19 apresentam lesões no coração após alta, revela estudo
Doentes hospitalizados com Covid-19 apresentam lesões no coração após alta, revela estudo
Os adeptos do Mouloudia Club d'Alger (MCA), uma das principais equipas de futebol da Argélia, desistiram da celebração do próximo centenário do clube para doar o dinheiro para a aquisição de garrafas de oxigénio aos doentes com Covid-19.

Este centenário será o da "Mouloudia do oxigénio", através de uma grande ação de solidariedade", disse este domingo à agência AFP Hamid Atmani, vice-presidente do comité nacional de apoiantes do MCA.

Numa reunião recente para preparar o aniversário, os apoiantes argelinos decidiram, dado a agravamento da crise sanitária na Argélia, dar prioridade aos doentes, oferecendo-lhes o maior número possível de garrafas de oxigénio e, se for possível, medicamentos, disse Atmani.

Optaram por doar as somas recolhidas individualmente e pelos benfeitores do clube para o aniversário, "em benefício dos doentes de covid-19, antes de 07 de agosto", data do centenário do MCA.

Desde quinta-feira, as páginas na Internet dos apoiantes do MCA - o clube mais antigo da Argélia, nascido em 1921 - têm vindo a fazer eco desta iniciativa.

O dinheiro que seria usado para a festa será usado para comprar concentradores de oxigénio, promete a página da rede social do Facebook "100% Mouloudia", que reúne mais de 200.000 fãs do Verde e do Vermelho.

Será "a mais maravilhosa celebração centenária de um clube do mundo. Estes são os valores e princípios da nossa equipa desde a sua criação, há 100 anos atrás", lê-se na página da rede social.

Fundada a 07 de agosto de 1921, durante a era colonial, e com sede em Bal El Oued, um bairro operário de Argel, Mouloudia é apelidado de "o clube do povo", sendo uma das equipas de maior sucesso na liga profissional da Argélia.

"Celebrar o centenário enquanto o povo argelino atravessa uma situação dramática seria vergonhoso e estigmatizaria os adeptos do nosso clube", indica a organização desportiva.

Todos os anos, os adeptos do clube celebram o aniversário da agremiação com uma exibição de fogo-de-artifício, em Bab El Oued.

A Argélia está a enfrentar uma terceira vaga de Covid-19, que conduziu a uma escassez de oxigénio para indivíduos, e alguns hospitais deparam-se com problemas de gestão e distribuição de 'stocks'.

Os voluntários começaram a organizar-se para ajudar os doentes em muitos lugares. Alguns empresários estão a distribuir garrafas de oxigénio gratuitamente.

Face à procura urgente, o primeiro-ministro, Aïmene Benabderrahmane, prometeu importar mais de 160.000 litros de oxigénio, bem como dez unidades de produção com uma capacidade de 20.000 a 40.000 litros por dia.

A Argélia deve também trazer milhares de concentradores de oxigénio.

A pandemia de Covid-19 provocou pelo menos 4.220.816 mortos em todo o mundo, entre mais de 197,8 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse, divulgado no domingo.

Em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram 17.369 pessoas e foram registados 970.937 casos de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

Ver comentários