Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Conselho Nacional de Juventude da Guiné-Bissau pede fim da greve da função pública

UNTG tem convocado desde dezembro ondas de greves gerais na função pública guineense para exigir do Governo, entre outras reivindicações, a melhoria das condições laborais.
Lusa 7 de Junho de 2021 às 23:54
Guiné-Bissau
Guiné-Bissau FOTO: Getty Images
A presidente do Conselho Nacional de Juventude da Guiné-Bissau, Aissatu Djalo Forbs, pediu esta segunda-feira o fim da greve geral da função pública, que está a afetar o setor da educação.

"Nós como jovens estamos bastante preocupados com a greve no setor da educação, que decorre há mais de seis meses", afirmou Aissatu Djalo Forbs.

A presidente do Conselho Nacional de Juventude falava depois de uma audiência com o chefe de Estado guineense, Umaro Sissoco Embaló, a quem pediu que o diálogo entre o Governo e a União Nacional de Trabalhadores da Guiné-Bissau (UNTG), principal central sindical do país, possa continuar.

"Garantiu-nos que ia instruir ainda esta semana para o Governo se sentar e negociar e ultrapassar o mais rapidamente possível a situação", disse Aissatu Djalo Forbs, salientando que a greve está a prejudicar os jovens guineenses.

A UNTG tem convocado desde dezembro ondas de greves gerais na função pública guineense para exigir do Governo, entre outras reivindicações, a melhoria das condições laborais, o cumprimento da lei da contratação pública e o aumento do salário mínimo nacional dos atuais 50.000 francos cfa (76 euros) para o dobro.

A sociedade civil, incluindo elementos do poder religioso e local, reuniu-se também esta segunda-feira com a UNTG e o Governo para que regressem à mesa das negociações, estando previsto um novo encontro para terça-feira às 11:00 na sede da central sindical.

Nacional de Juventude Aissatu Djalo Forbs Guiné-Bissau Governo UNTG política trabalho greve
Ver comentários