Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Investidor maliano pede à Europa para ajudar África pensando na sua própria segurança

"Ocidente deve pensar mais que vivemos numa aldeia global", começou por afirmar Samba Bathily.
Lusa 17 de Abril de 2021 às 09:12
Samba Bathily
Samba Bathily FOTO: Lusa
O investidor maliano Samba Bathily, considerado um dos líderes africanos mais influentes, defendeu, em entrevista à Lusa, que a Europa deve apoiar a "democratização" do acesso às vacinas no continente africano, pensando na sua própria segurança.

"Acho que o Ocidente deve pensar mais que vivemos numa aldeia global", começou por afirmar o empresário, pioneiro em África no setor das energias renováveis, em entrevista à Lusa no Mindelo, ilha de São Vicente, onde está a instalar um estúdio de música flutuante.

"O que eu digo aos europeus é que África está próxima da Europa pela geografia e pela história, temos um destino comum. E o desenvolvimento de África é um assunto de segurança nacional, para nós, quando estamos a falar do nosso desenvolvimento, mas também de segurança internacional. O continente que temos mais próximo é a Europa", enfatizou.

Recordou que a própria Europa tem interesse nessa relação e numa África "que esteja bem", mas que para tal os países europeus também "têm de fazer mais": "São dois mil milhões de consumidores, que estão perto da Europa".

Desde logo, explica, através de um maior "acesso às vacinas" por parte dos países africanos.

"Temos de caminhar juntos para combater esta pandemia, democratizando o acesso às vacinas para todos. Não deve ser preciso sermos ricos para ter acesso à vacina. Pobres ou ricos todos nós precisamos, é um caso de segurança internacional", concluiu.

Através do investimento que Samba Bathily tem em curso, a baía do Mindelo vai ter, dentro de três meses, uma instalação flutuante para música, entretenimento e intercâmbio entre artistas, o Floating Hub Music, que promete levar estrelas internacionais à cidade cabo-verdiana.

Entre outras valências, será um estúdio de gravação musical, flutuante, num projeto da Africa Development Solutions (ADS), detida pelo investidor maliano, que se junta à componente de produção cinematográfica.

O investidor maliano promete que "dentro de três meses" tudo vai a começar a mexer, inicialmente com o estúdio internacional de música, chegando à produção de uma telenovela multinacional africana, com gravação em Cabo Verde.

Através do grupo ADS, Samba Bathily intervém em domínios estratégicos para o desenvolvimento dos países do continente africano, nomeadamente financiamento de projetos, energias renováveis e acesso à água, novas tecnologias, média e telecomunicações, infraestruturas, hotelaria e imobiliário, automóvel e logística, entre outras.

Ver comentários