Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

ONU considera "inaceitáveis" detenções dos dirigentes civis sudaneses

Nas últimas horas o primeiro-ministro, Abdullah Hamdok, e outros representantes políticos civis foram detidos.
Lusa 25 de Outubro de 2021 às 10:31
Pessoas juntam-se na rua no Sudão na sequência de relatos de um golpe de estado
Pessoas juntam-se na rua no Sudão na sequência de relatos de um golpe de estado FOTO: RASD SUDAN NETWORK via REUTERS
As detenções dos líderes civis membros do órgão de transição no Sudão são "inaceitáveis", afirmou esta segunda-feira o enviado das Nações Unidas ao país, Volker Perthes, manifestando-se "muito preocupado com as notícias de um golpe de Estado".

"Apelo às forças armadas para que libertem imediatamente os detidos", afirmou o representante especial para o Sudão e Chefe da Missão Integrada de Assistência à Transição das Nações Unidas no Sudão (UNITAMS), acrescentando que, segundo o Ministério da Informação sudanês, quase todos os civis membros das autoridades de transição no país estão detidos pelos "militares".

Também a Liga Árabe manifestou a preocupação com os acontecimentos no Sudão, onde um grupo de soldados prendeu nas últimas horas o primeiro-ministro, Abdullah Hamdok, e outros representantes políticos civis, na sequência de tensões entre os órgãos de transição.

Também a Alemanha "condenou claramente" a tentativa de golpe no Sudão, que "deve parar imediatamente" para permitir a continuação de uma "transição política pacífica para a democracia", numa declaração assinada pelo ministro dos Negócios Estrangeiros alemão.

"As informações que dão conta de uma nova tentativa de golpe no Sudão são perturbadoras", afirmou Heiko Maas, que apelou ao "diálogo" entre os responsáveis políticos que dirigem as autoridades de transição no país.

Volker Perthes ONU Sudão Nações Unidas política diplomacia distúrbios guerras e conflitos golpe de estado
Ver comentários