Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Programa Alimentar Mundial volta a Cabo Verde 12 anos depois para mitigar crise

Financiamento atinge os 1,6 milhões de euros.
Lusa 23 de Setembro de 2022 às 13:54
Alunos a caminho da escola em Cabo Verde
Alunos a caminho da escola em Cabo Verde FOTO: Reuters
O Programa Alimentar Mundial voltou a Cabo Verde, 12 anos depois, para financiar com 1,6 milhões de euros o programa nacional de alimentação escolar, que a instituição iniciou em 1979 e que descreve como um dos melhores em África.

"Estamos muito orgulhosos do exemplo que Cabo Verde deu, não apenas na região da África Ocidental, mas francamente, em todo o continente. Um verdadeiro programa nacional de alimentação escolar que alcança todas as crianças que frequentam a escola e um programa de alimentação escolar que está ancorado na legislação nacional. Portanto, que lhe confere sustentabilidade e estrutura", afirmou esta sexta-feira, na Praia, o diretor regional do Programa Alimentar Mundial (PAM) para a África central e ocidental, Christopher Nikoi.

Em causa está um acordo com aquela agência das Nações Unidas, formalmente assinado esta sexta-feira com o Governo cabo-verdiano, em que o PAM se compromete a disponibilizar, durante seis meses, alimentação a 89715 alunos do pré-escolar, primário e secundário de 788 escolas, através do programa nacional de cantina escolar e durante o período de férias escolares, para mitigar as dificuldades financeiras do Estado, face à crise económica provocada pela Covid-19 e inflacionista decorrente da guerra na Ucrânia.

Ver comentários