Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Sistema de enchimento de botijas volta funcionar na Beira após ciclones

Ciclone Idai atingiu o centro de Moçambique em março.
Lusa 10 de Junho de 2019 às 17:36
Inundação provocada pelo ciclone em Beira, Moçambique
Passagem do Ciclone Idai em Moçambique
Passagem do Ciclone Idai em Moçambique
Ciclone Idai
Ciclone Idai
Ciclone Idai
Passagem do Ciclone Idai em Moçambique
Inundação provocada pelo ciclone em Beira, Moçambique
Passagem do Ciclone Idai em Moçambique
Passagem do Ciclone Idai em Moçambique
Ciclone Idai
Ciclone Idai
Ciclone Idai
Passagem do Ciclone Idai em Moçambique
Inundação provocada pelo ciclone em Beira, Moçambique
Passagem do Ciclone Idai em Moçambique
Passagem do Ciclone Idai em Moçambique
Ciclone Idai
Ciclone Idai
Ciclone Idai
Passagem do Ciclone Idai em Moçambique
O sistema de enchimento de botijas de gás no Terminal Oceânico da Beira foi restabelecido quatro meses após o encerramento devido à passagem do ciclone Idai, que atingiu o centro de Moçambique em março.

"Tivemos que chamar o empreiteiro para fazer ajustamentos nas balanças e, neste momento, posso assegurar que o sistema está operacional e a Petrogas já está em condições de fazer os enchimentos a partir da Beira", afirmou Hélder Chambisse, presidente da Petromoc, gestora da infraestrutura.

De acordo com a fonte, citado esta segunda-feira pelo diário Notícias, a operacionalização do terminal da Beira vai reduzir o diferencial do transporte do gás proveniente de Maputo, estimado num valor de 20 meticais por cada botija de 11 quilos.

Orçado em cerca de 38 milhões de dólares, o Terminal Oceânico da Beira foi financiado Exim Bank of Índia.

O ciclone Idai atingiu o centro de Moçambique em março, causando 604 vítimas mortais e afetando cerca de 1,8 milhões de pessoas.

Pouco tempo depois, Moçambique voltou a ser atingido por um ciclone, o Kenneth, que se abateu sobre o norte do país em abril, que matou 45 pessoas e afetou outras 250.000.
Ver comentários