Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Três moçambicanos condenados a 35 anos por caça furtiva de rinoceronte na África do Sul

Homens foram presos em 2018 ao tentarem sair da reserva de caça com pontas de rinoceronte roubadas no valor de cerca 86 mil euros.
Lusa 23 de Outubro de 2021 às 13:06
Rinocerontes
Rinocerontes FOTO: Getty Images
Um tribunal sul-africano condenou três moçambicanos a 35 anos de prisão efetiva por tráfico de pontas de rinoceronte e caça furtiva na reserva animal de Pilanesberg, a noroeste da capital Pretória, culminando um longo processo na justiça sul-africana.

De acordo com o porta-voz do Ministério Público sul-africano na província de North West, Henry Mamothame, o Tribunal Regional de Mogwase ordenou que as sentenças dos três caçadores furtivos fossem executadas simultaneamente.

"Os homens, que são de Moçambique, foram presos em 2 de julho de 2018 ao tentarem sair da reserva de caça numa 'pick-up' Ford branca carregada com pontas de rinoceronte roubadas no valor de 1,5 milhões de rands (86.857,83 euros)", explicou a fonte do Ministério Público sul-africano (NPA, na sigla em inglês), citado pela imprensa local.

África do Sul Pilanesberg Pretória Ministério Público crime lei e justiça rinoceronte
Ver comentários