Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Vírus Ébola resurge no leste do Congo e mata criança de três anos

Ressurgimento acontece cinco meses após a declaração do fim oficial da 12.ª epidemia da doença no país,
Lusa 9 de Outubro de 2021 às 16:56
Vacinação contra a Ébola no Congo
Vacinação contra a Ébola no Congo FOTO: Getty Images
Uma criança de três anos do leste da República Democrática do Congo contraiu o vírus Ébola, cinco meses após a declaração do fim oficial da 12.ª epidemia da doença no país, revelou na sexta-feira o Ministério da Saúde congolês.

"Este novo ressurgimento do vírus (...) ocorreu na zona sanitária de Beni", na província de Kivu do norte, disse o ministério em comunicado, sendo que o caso envolve "uma criança de três anos, do sexo masculino, que foi hospitalizada e que morreu a 6 de outubro".

Uma amostra de sangue da criança foi enviada para análise em Goma, capital da província, tendo sido o resultado sido positiva em relação ao vírus Ébola.

De acordo com o ministério da Saúde congolês, as equipas estão a "trabalhar arduamente" no terreno, nomeadamente para garantir "o rastreio e o seguimento de cerca de 100 contactos detetados até à data e a descontaminação das unidades de saúde".

"Graças à experiência adquirida na gestão contra o vírus Ébola em epidemias anteriores, temos a certeza de que as equipes de resposta (...) serão capazes de controlar esta epidemia o mais rápido possível", lê-se no comunicado.

No início de maio, a RDC declarou o final da 12.ª epidemia de Ébola no país, durante a qual foram registados 12 casos, dos quais seis das pessoas que contraíram o vírus morreram e centenas foram vacinadas.

A doença reapareceu em fevereiro numa área de Kivu do norte, atingida entre agosto de 2018 e junho de 2020 pelo maior surto da história da RDC em termos da febre hemorrágica Ébola (3.470 infeções, 2.287 mortos).

Identificado pela primeira vez em 1976 na RDC (antigo Zaire), o vírus Ébola é transmitido ao homem por animais infetados.

A transmissão aos humanos ocorre através de fluidos corporais, tendo como principais sintomas febre, vómitos, sangramento e diarreia.

Os tratamentos já demonstraram alguma eficácia contra a febre hemorrágica, assim como as vacinas administradas num ambiente de casos positivos.

Ver comentários
}