Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Filho de Biden é alvo de investigação fiscal

FBI está a investigar suspeitas de branqueamento e evasão fiscal relacionadas com os negócios de Hunter Biden na China.
Ricardo Ramos 11 de Dezembro de 2020 às 08:37
Negócios de Hunter Biden (à esquerda) foram usados por Donald Trump para atacar Joe Biden na campanha eleitoral
Negócios de Hunter Biden (à esquerda) foram usados por Donald Trump para atacar Joe Biden na campanha eleitoral FOTO: EPA
A Justiça norte-americana está a investigar suspeitas de possível evasão fiscal e branqueamento de capitais nos negócios de Hunter Biden, filho do presidente eleito Joe Biden. Em causa estarão alegadas transações financeiras na China, repetidamente denunciadas por Donald Trump durante a campanha eleitoral.

Foi o próprio Hunter Biden quem tornou pública a investigação, depois de ter sido formalmente notificado na quarta-feira. "Estou certo que uma investigação profissional e objetiva irá provar que conduzi os meus negócios de forma apropriada e legal, com o devido acompanhamento de conselheiros fiscais", anunciou o filho de Biden num comunicado.

A investigação, que está a ser conduzida pela Procuradoria do Delaware, o FBI e a Divisão de Investigação do IRS, começou em 2018, muito antes de Joe Biden anunciar a sua candidata à Presidência dos EUA. No entanto, as diligências foram suspensas durante a campanha e o período eleitoral porque as normas do Departamento de Justiça impedem a realização de ações suscetíveis de influenciar as eleições. Recorde-se que durante a campanha, Trump usou várias vezes os negócios de Hunter Biden na China e na Ucrânia para atacar Joe Biden.

Em comunicado, o gabinete do presidente eleito garantiu que Biden "tem um profundo orgulho no seu filho" e frisou que "as inúmeras dificuldades por que passou e os ataques recentes apenas serviram para o tornar mais forte".
Ver comentários