Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

“A Igreja está consigo”

O cardeal Angelo Sodano, decano do Colégio Cardinalício, afirmou ontem que toda a Igreja está com o Papa Bento XVI e que não se deixa afectar por "mexericos", numa clara alusão às sucessivas críticas à gestão dos casos de abusos sexuais cometidos por padres católicos.
5 de Abril de 2010 às 00:30
O Papa Bento XVI, ontem, na Praça de S. Pedro, durante a habitual missa pascal
O Papa Bento XVI, ontem, na Praça de S. Pedro, durante a habitual missa pascal FOTO: Ossrevatore Romano

"Está consigo todo o povo de Deus, que não se deixa impressionar pelos mexericos do momento, pelas provações que, por vezes, vêm ferir a comunidade dos crentes", declarou o cardeal Sodano, dirigindo-se, inesperadamente, ao chefe da Igreja Católica no início da missa solene do Domingo da Ressurreição. Esta foi a primeira vez nos últimos anos que uma eucaristia do Domingo de Páscoa celebrada pelo Papa sofreu alterações para que alguém pudesse dirigir-se directamente ao Santo Padre. "Hoje, toda a Igreja pode dizê-lo em coro, feliz Páscoa, amado Santo Padre. A Igreja está consigo. Estão consigo os cardeais, os colaboradores, os bispos e os 400 mil sacerdotes que servem generosamente o povo de Deus nas paróquias, nas escolas, nos hospitais e nas missões", acrescentou. "É com este espírito que hoje nos juntamos à sua volta, sucessor de Pedro, bispo de Roma, o rochedo infalível da santa Igreja de Cristo", referiu ainda Sodano, sem no entanto fazer, em nenhum momento, referência directa aos escândalos de pedofilia. O cardeal recordou ainda as palavras proferidas pelo próprio Bento XVI na Quinta-feira Santa, citando São Pedro: "Jesus, insultado, não respondeu aos insultos."

Por seu lado, Bento XVI, que desejou aos fiéis, em português, "uma Páscoa feliz com Cristo ressuscitado", evitou ontem, durante a bênção ‘Urbi et Orbi’ qualquer referência aos abusos sexuais no seio da Igreja Católica, numa altura em que esta tem estado a contas com sucessivos ataques a propósito do modo como tem vindo a lidar com a questão. Recorde-se que o Papa foi recentemente acusado de ter fechado os olhos a casos de abusos sexuais de menores cometidos por sacerdotes quando era arcebispo de Munique e, depois, prefeito da Congregação da Doutrina da Fé.

O Papa recordou ainda as "comunidades cristãs que conhecem provações ou sofrimentos, em especial no Iraque", bem como "os cristãos que, pela sua fé, sofrem a perseguição e até a morte, como no Paquistão". Além disso, Bento XVI pediu paz no Médio Oriente e o fim dos conflitos em África, em particular na República Democrática do Congo, na Guiné-Conacri e na Nigéria.

A FÉ DOS CRISTÃOS É "RESISTENTE"

O bispo do Porto, D. Manuel Clemente, afirmou ontem que a fé dos cristãos resiste a situações que "já passaram", embora deixem "lastro e pontos necessariamente a rever". Na homilia pascal na Catedral do Porto, D. Manuel Clemente considerou que a memória de "Cristo vivo e senhor do templo novo não cansa e está cheia de futuro".

CARDEAL APELA À "OUSADIA"

O Cardeal-patriarca de Lisboa evocou ontem as dificuldades dos fiéis em acreditarem na ressurreição de Cristo afirmando que "à Igreja do nosso tempo não basta a clarividência da doutrina", sendo "necessária a ousadia das testemunhas".

Na sua homilia no Pontifical da Ressurreição, na Sé Patriarcal de Lisboa, D. José Policarpo recordou as dificuldades sentidas pelos primeiros discípulos, projectando-as para a actualidade. Para o Cardeal, a principal dificuldade estava na "nova exigência da fé", uma vez que a "ressurreição de Cristo não se podia verificar, era preciso acreditar".

Hoje em dia, defendeu D. Policarpo, "acreditar na ressurreição é aceitar começar de novo", deixando ficar aos fiéis a mensagem de Paulo aos Colossenses: "Se ressuscitastes com Cristo, aspirai às coisas do alto, onde está Cristo. Afeiçoai-vos às coisas do alto e não às da Terra."

D. José Policarpo sublinhou que a dificuldade dos fiéis de hoje é grande, tal como foi para os que testemunharam a ressurreição. "Mesmo aqueles a quem Jesus ressuscitado apareceu tinham de acreditar e foram escolhidos para serem testemunhas e não provas de verificação", disse, reforçando que "a força de um testemunho não é menos comovedor do que uma prova racional". As palavras convencem, mas o testemunho comove", acrescentou, reiterando: "As testemunhas são aberturas a essa outra dimensão da vida, onde só Cristo continua a ser fonte da vida."

NÃO HOUVE FOLAR EM MARECOS

A população de Marecos prometeu e cumpriu. Em nenhuma das 600 casas desta localidade de Penafiel foi levantado o folar, um envelope com dinheiro que, pela Páscoa, é dado à Igreja. Esta foi a forma de protesto contra o fim da participação de dois seminaristas no compasso pascal.

DEPOIMENTOS

"ACHO QUE O PAPA VAI SER BEM RECEBIDO": Vítor Ferreira Emp. de mesa

Os casos de pedofilia não são nada bons para a Igreja. É sempre algo que vai afectar a imagem do Papa e de toda a Igreja. Mas acho que a comunidade católica em Portugal vai esquecer essas situações e vai receber bem o Papa na sua visita.

"OS PADRES CULPADOS DEVEM SER CASTIGADOS": José Tomás Agricultor

Respeito muito a Igreja, masos casos de pedofilia não são nada bons.É um assunto muito confidencial e não devia ser. A Igreja devia ser mais aberta a discutir e dizer quem são os padres. É uma acção muito feia e os padres culpados devem ser castigados.

"O CELIBATO É A GÉNESE DO PROBLEMA DA PEDOFILIA": Cléber Rezende Médico

A Igreja Católica é cheia de regras que os próprios padres não praticam. É uma tremenda hipocrisia. Está na hora de mudar. Mais do que punir os padres pedófilos, há que discutir o celibato, que está na génese desse problema.

"DEVEM SER MAIS EXIGENTES COM IGREJA": Lívia Rezende Estudante

Acho que a comunidade católica deve ser mais exigente para com a própria Igreja e pedir uma acção mais forte na investigação e denúncia destas situações. Não podem jogar a bagunça para debaixo do tapete.

NOTAS

PREGADOR: DESCULPA

Acho que a comunidade católica deve ser mais exigente para com a própria Igreja e pedir uma acção mais forte na investigação e denúncia destas situações. Não podem jogar a bagunça para debaixo do tapete.

PAPA: AMEAÇA

Advogados britânicos estão a avaliar a possibilidade de incriminar judicialmente o Papa Bento XVI pelos crimes de pedofilia cometidos pelos padres católicos

APOIO: AMÉRICA

D. Raymundo Damasceno, presidente do Conselho Episcopal Latino--Americano, manifestou a solidariedade dos bispos da América Latino com Bento XVI

LÚCIA: SEGREDO

Decorrem 53 anos sobre a entrega ao Vaticano do segredo de Fátima escrito pela Irmã Lúcia, depois de 13 anos na diocese de Leiria.

Foi revelado em 2000

5 euros é o preço de cada t-shirt oficial da visita de Bento XVI a Portugal. Por dia, são entregues nas paróquias mil camisolas

D. ORTIGA: RENOVAÇÃO

O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, D. Jorge Ortiga, disse ontem que "a Igreja soube ser proposta de renovação em épocas de crise" e dirigiu um cumprimento especial "a quem se sente neste momento desencantado e amedrontado"

Ver comentários