Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Adolescentes matam jovem à facada

É o quinto assassinato envolvendo jovens negros, em Londres, no período de cinco semanas. Desta vez, quatro adolescentes esfaquearam até à morte um jovem, de 16 anos, que estava acompanhado da namorada. Enquanto um gang perseguia o rapaz, um grupo de raparigas entoava, em ‘coro’, palavras de incentivo para que o matassem.
18 de Março de 2007 às 00:00
A polícia moveu intensa caça a grupos de jovens até encontrar os alegados suspeitos da morte de Kodjo Yenga, barbaramente assassinado quando seguia numa rua acompanhado da namorada
A polícia moveu intensa caça a grupos de jovens até encontrar os alegados suspeitos da morte de Kodjo Yenga, barbaramente assassinado quando seguia numa rua acompanhado da namorada FOTO: Adrian Dennis, Epa
Na sequência do crime, que ocorreu na passada quarta-feira numa rua da capital britânica, quatro adolescentes – dois de 13 anos, um de 15 e outro de 16 – compareceram já a tribunal. Isto depois de, na sexta-feira, terem sido interrogados pela polícia outros cinco jovens, entre os 13 e os 21 anos, que entretanto acabaram por ser libertados.
Tudo se passou quando Kodjo Yenga, por razões ainda por esclarecer – motivações raciais poderão ter estado na origem do crime –, foi perseguido por um gang juvenil, enquanto um grupo de raparigas gritava para que os jovens não tivessem misericórdia. “Matem-no, matem-no”, gritaram.
O jovem ainda tentou defender-se, face a um iminente espancamento com paus. Contudo, segundos depois, após ter sido cercada e apanhada, a vítima foi mortalmente esfaqueada no coração, jazendo numa ‘piscina’ de sangue, nos braços da namorada, Cookie. “Por favor, por favor, não morras! Eu preciso de ti”, gritou, de nada valendo os seus esforços para o tentar salvar. De acordo com uma testemunha ocular, uma rapariga – ao que tudo indica, a namorada da vítima – desatou então a gritar enquanto falava ao telemóvel. Refira-se que o brutal homicídio foi testemunhado por dezenas de pessoas, tendo pelo menos 40 chamado a polícia.
Ver comentários