Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Assassino que executou mais de dez crianças morto por populares após fugir da esquadra

Masten Milimo Wanjala, 20 anos, foi preso em 14 de julho pelo desaparecimento de duas crianças.
Lusa 15 de Outubro de 2021 às 10:40
Masten Milimo Wanjala, 20 anos, foi preso em 14 de julho pelo desaparecimento de duas crianças
Masten Milimo Wanjala, 20 anos, foi preso em 14 de julho pelo desaparecimento de duas crianças FOTO: Getty Images
Aldeões quenianos lincharam esta sexta-feira um assassino de crianças, descrito como um "vampiro sanguinário", dias depois de este ter escapado da custódia policial, disseram as autoridades quenianas.

Masten Milimo Wanjala, 20 anos, foi preso em 14 de julho pelo desaparecimento de duas crianças, mas numa confissão admitiu ter matado pelo menos mais outas dez durante um período de cinco anos, "por vezes sugando sangue das suas veias antes de as executar", disse na altura a Direção de Investigação Criminal do Quénia (DCI).

O jovem deveria comparecer num tribunal de Nairobi na quarta-feira pelo assassínio de duas crianças, de 12 e 13 anos de idade, mas tinha desaparecido da esquadra de polícia durante a manhã. Três agentes da polícia foram detidos e levados perante um juiz na quinta-feira, para responder pela fuga do acusado.

Quénia crime lei e justiça crime
Ver comentários