Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Atirador mata oito em loja da Fedex nos EUA

Autor do ataque saiu de um carro à entrada do armazém e começou logo a disparar.
Francisco J. Gonçalves 17 de Abril de 2021 às 09:44
Atirador mata oito ao acaso em loja da Fedex nos EUA
Atacante matou quatro pessoas no exterior do armazém e quatro outras no interior.
Atirador mata oito ao acaso em loja da Fedex nos EUA
Atirador mata oito ao acaso em loja da Fedex nos EUA
Atacante matou quatro pessoas no exterior do armazém e quatro outras no interior.
Atirador mata oito ao acaso em loja da Fedex nos EUA
Atirador mata oito ao acaso em loja da Fedex nos EUA
Atacante matou quatro pessoas no exterior do armazém e quatro outras no interior.
Atirador mata oito ao acaso em loja da Fedex nos EUA
Um homem armado matou oito pessoas na tarde de quinta-feira (hora local, noite em Lisboa) num armazém da Fedex nos arredores de Indianápolis. O atirador seria depois encontrado morto pela polícia, num aparente suicídio. Quatro feridos foram hospitalizados, um dos quais em estado crítico.

“O suspeito chegou ao armazém e, assim que chegou, saiu do carro começou logo a disparar ao acaso no exterior”, afirmou Craig McCartt, chefe adjunto de investigação criminal, acrescentando: “Não houve qualquer discussão ou confronto prévio, ele simplesmente apareceu e começou a disparar ao acaso”. Quatro das vítimas mortais foram encontradas no exterior do edifício e quatro outras no interior.

As identidades das vítimas não eram ontem conhecidas, mas, de acordo com o ‘New York Post’, que cita a NBC News, o homicida foi Brandon Scott Hole, jovem de 19 anos com potencial de violência alegadamente já conhecido das autoridades locais e federais.

De acordo com Ana Cabrera, jornalista da CNN, um familiar de Brandon terá feito uma denúncia à polícia, alertando para o risco de o jovem levar a cabo atos violentos.

O motivo do massacre estava esta sexta-feira por determinar e a polícia alertou que “talvez nunca se venha a conhecer realmente porque aconteceu”. Mas não é de excluir uma motivação racial, tendo em conta que grande parte dos empregados do armazém da Fedex visado pelo atirador pertencem à comunidade Sikh (grupo religioso e étnico originário do Punjab).

Este ano 12 395 pessoas foram mortas por armas de fogo nos EUA. Em Indianápolis, o ataque é o terceiro massacre de 2021, depois de em janeiro cinco pessoas serem mortas, entre elas uma grávida e em março três adultos e uma criança morreram noutro tiroteio.

Com estes números em mente, o presidente da Câmara da cidade, Joe Hogsett, apelou a que estes atos não sejam vistos como “algo a que temos de nos habituar” e pediu um combate “à chaga da violência armada que já matou demasiadas pessoas no país”.

PORMENORES
Sem telemóveis na loja
A Fedex pondera alterar a proibição de uso de telemóveis nos seus armazéns depois muitos empregados da loja atacada em Indianápolis serem impedidos de pedir ajuda ou contactar as famílias durante o tiroteio.

Mais de 200 homicídios
Em 2020, houve 215 homicídios criminosos em Indianápolis, o máximo da cidade, e 30 outros homicídios em casos de legítima defesa. O máximo anterior de homicídios criminosos era de 159 e foi registado em 2018.

Vídeo mostra rapaz de 13 anos morto por polícia
Um vídeo que mostra a morte de Adam Toledo, de 13 anos, está a causar revolta em Chicago. As imagens, captadas pela câmara de um polícia, foram reveladas quinta-feira. Mostram a perseguição a Adam e o momento em que é baleado no peito, quando já estava de mãos levantadas e, ao que parece, desarmado. Ruben Roman, de 21 anos, estava com o menor e foi detido por ter disparado, pouco antes, sobre um carro da polícia. A presidente da Câmara de Chicago, Lori Lightfoot, apelou à calma, numa altura em que decorrem já protestos contra o abuso de força policial. Adam vivia num bairro de maioria latina e é a mais jovem vítima da polícia do Ilinóis em muitos anos.
Ver comentários