Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Ator Alec Baldwin acusado de jogar à "roleta russa" em nova queixa

Anotadora nas filmagens de Rust acusa Baldwin de "jogar à roleta russa" ao manipular uma arma sem respeitar as regras de segurança em vigor na indústria cinematográfica.
Lusa 18 de Novembro de 2021 às 09:16
Baldwin, de 63 anos, mostrou-se devastado com o fatídico acidente
Baldwin, de 63 anos, mostrou-se devastado com o fatídico acidente FOTO: Direitos Reservados
Depois da tragédia em que o ator norte-americano matou acidentalmente a diretora de fotografia Halyna Hutchins durante filmagens, Alec Baldwin está novamente envolto numa polémica com armas.

Numa nova queixa apresentada esta quinta-feira, o ator é acusado de "jogar à roleta russa" ao manipular uma arma sem respeitar as regras de segurança em vigor na indústria cinematográfica, revela a Lusa.

A queixa foi apresentada por 
Mamie Mitchell, empregada como anotadora nas filmagens do western Rust, que é o segundo membro da equipa de filmagens a apresentar queixa contra Alec Baldwin e outros produtores por comportamento perigoso.

Mitchel revela que sofria de "stress emocional" e outros problemas resultantes dos danos "causados intencionalmente" pela produção.

"Os acontecimentos que levaram ao disparo de uma arma carregada por Baldwin não foram uma mera negligência", disse a advogada da anotadora Gloria Allred, numa conferência de imprensa em Los Angeles.

"Ao contrário, do nosso ponto de vista, Alec Baldwin escolheu jogar à roleta russa enquanto disparava uma arma sem ter verificado e sem que o armeiro o tivesse feito na sua presença", argumentou a advogada, acrescentado: "o seu comportamento e o dos produtores do Rust foram perigosos".

Também são alvo da queixa, o assistente de direção David Halls, que entregou a arma a Alec Baldwin, dizendo que era inofensiva, e o armeiro, Hannah Gutierrez-Reed, a responsável pelas armas de fogo utilizadas pela equipa.

A jovem de 24 anos afirmou por várias vezes que ignorava a presença de munições reais nas filmagens.

"O Sr. Baldwin e os (outros) profissionais experientes sabiam que a arma em questão nunca lhe deveria ter sido dada pelo assistente de direção", mas pelo armeiro da filmagem, acusou Gloria Allred.

As normas de segurança em vigor na indústria cinematográfica dos Estados Unidos estipulam que o armeiro deve mostrar explicitamente ao ator que a arma é segura e, em seguida, entregá-la diretamente a ele.

"O Sr. Baldwin sabia que essa era a regra e que não era seguida. E não verificou ele mesmo a arma", acrescentou a advogada.

Na semana passada, Serge Svetnoy, designer de iluminação chefe do filme presente durante o tiroteio acidental, apresentou uma queixa por "negligência" contra o ator, a produção e o armeiro.

O ator norte-americano Alec Baldwin matou acidentalmente a diretora de fotografia do filme que estava a rodar, ao disparar uma arma de adereço que não devia estar carregada, a 22 de outubro.

A vítima mortal foi identificada como Halyna Hutchins, de 42 anos, tendo os disparos ferido também o diretor do filme, Joel Souza, de 48, que foi admitido na unidade de cuidados intensivos do centro médico Christus St. Vincent, nos arredores de Santa Fé, no estado do Novo México, sudoeste dos Estados Unidos.

O ator no próprio dia veio a público, na rede social Twitter, dizer que se sentia "devastado" pelo sucedido.

Ver comentários