Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Bebé de um ano sobrevive três dias sozinha em floresta infestada de ursos e lobos

Menina foi resgatada por milagre após ter desaparecido do quintal da família.
Correio da Manhã 24 de Agosto de 2021 às 09:13
A carregar o vídeo ...
Bebé de um ano sobrevive três dias sozinha em floresta infestada de ursos e lobos

Já lhe chamam ‘menina milagre’ e o episódio faz lembrar o caso do bebé Noah, que foi encontrado em Proença-a-Velha após estar desaparecido no mato mais de 35 horas: Uma bebé russa foi encontrada após três dias desaparecida. A menina foi resgatada de uma floresta próxima da Obninsk, na Rússia, quando s esquipas de resgate já não tinham esperanças de a encontrar com vida.

A pequena Lyuda Kuzina desapareceu após afastar-se da mãe quando as duas estavam no quintal de casa, localizada em zona de floresta. Imediatamente foi dado o alerta, com centenas de pessoas a juntarem-se às buscas, já que o pai da menina é conhecido de todos por ser um físico nuclear famoso na região.

Mais de 500 pessoas participaram nas equipas organizadas que procuraram a menina com polícia e bombeiros, durante três dias. Temia-se já o pior, uma vez que a zona de floresta onde Lyuda tinha desaparecido está infestada de ursos e lobos selvagens, tendo já sido registados ataques destes animais.

O milagre veio a concretizar-se. "Um grupo estava a descansar após largas horas de buscas. E de repente ouviram um guincho abafado. Depois chamaram pela Lyuda e ouviram-no outra vez. Depois ela estendeu os bracinhos para crime e foram logo todos a correr. Ela agarrou-se logo às pessoas que a salvaram", conta o porta-voz da SALVAR, grupo que se organizou após o desaparecimento da menina para ajudar nas buscas.

A menina estava fraca, desidratada e cheia de picadas de insectos, mas bem. Segundo as equipas de buscas, bebeu muita água da garrafa que lhe deram quando a encontraram. Estava vestida apenas com uma camisola e um casaco. As autoridades acreditam que as temperaturas amenas que se fizeram sentir nos últimos dias (com os termómetros da região a não baixarem muito além dos 20º C).

"Toda a gente chorou. Os bombeiros, a polícia, os vizinhos, os residentes, os voluntários, a família. Só se ouviam os nossos soluços", recorda o porta-voz do grupo de busca.

A menina encontra-se a recuperar, internada num hospital em Smolensk.

Ver comentários