Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Biden impõe sanções à Rússia por Navalny

Medidas visam sete responsáveis governamentais e 14 empresas e organismos russos.
Ricardo Ramos 3 de Março de 2021 às 08:37
Medidas visam sete responsáveis governamentais e 14 empresas e organismos russos
Medidas visam sete responsáveis governamentais e 14 empresas e organismos russos FOTO: YURI KOCHETKOV/EPA
A Administração Biden impôs ontem sanções económicas à Rússia como retaliação pelo envenenamento do opositor Alexei Navalny, numa clara viragem da política americana em relação a Moscovo depois de vários anos em que o ex-presidente Trump pareceu relutante em confrontar abertamente Putin.

As sanções, que incluem o congelamento de bens no exterior e a proibição de entrada nos EUA, visam sete responsáveis governamentais, incluindo o líder do FSB, Alexander Bortnikov, e o chefe de política doméstica do Kremlin, Andrei Yarin, além de 14 empresas e instituições estatais associadas ao programa de armas químicas e biológicas. Além disso, a Administração Biden aponta diretamente o dedo ao Kremlin pelo envenenamento de Navalny. “A tentativa de assassinar Alexei Navalny segue um padrão alarmante do uso de armas químicas por Moscovo”, acusa a Casa Branca, adiantando que, a partir de agora, “o tom e o teor das conversas com a Rússia serão muito diferentes”, e que os EUA passarão a agir mais em sintonia com os seus aliados. Num primeiro exemplo, as medidas ontem anunciadas pelos EUA foram acompanhadas por novas sanções da UE contra quatro dirigentes russos.

Washington admitiu ainda impor sanções adicionais para punir os recentes ciberataques russos, a ingerência nas Presidenciais de 2020 e as recompensas oferecidas aos taliban para matar soldados americanos no Afeganistão.
Ver comentários