Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Bielorrússia critica atribuição de prémio a ativista detido Ales Bialiatski

Regime de Alexander Lukashenko afirmou que o fundador dos galardões, Alfred Nobel, "andará às voltas no túmulo".
Lusa 7 de Outubro de 2022 às 15:37
Ales Bialiatski
Ales Bialiatski FOTO: Reuters
O regime bielorrusso de Alexander Lukashenko criticou esta sexta-feira a atribuição do Prémio Nobel da Paz ao ativista detido Ales Bialiatski, e afirmou que o fundador dos galardões, Alfred Nobel, "andará às voltas no túmulo".

"Nos últimos anos, uma série de decisões fundamentais, e estamos a falar do Prémio da Paz do Comité Nobel, têm sido tão politizadas que, desculpem, Alfred Nobel estará farto de andar às voltas no túmulo", escreveu na rede social Twitter o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros bielorrusso, Anatoly Glaz.

Bialiatski dividiu o Prémio Nobel da Paz de 2022 com a organização Memorial, da Rússia, e com o Centro para as Liberdades Civis, da Ucrânia, ambas defensoras e promotoras dos direitos humanos, pelo "direito de criticar o poder" e "denunciar crimes contra a humanidade".

Ver comentários