Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Bilionário mais jovem do mundo ganha fortuna com farmácia em que não trabalha

Kevin David Lehmann estreou lista dos maiores bilionários ao receber fortuna ao completar 18 anos.
15 de Abril de 2021 às 08:17
Kevin David Lehmann
Kevin David Lehmann FOTO: Instagram
Chama-se Kevin David Lehmann e estreou a lista dos maiores bilionários do mundo, sendo segundo a revista Forbes o maios novo, ao completar 18 anos. O jovem acumula 3,3 biliões de dólares (cerca de 2,7 euros) ao herdar do pai Guenther Lehmann participações na rede de farmácias alemã dm-drogerie markt.

A empresa foi fundada em 1974 e é uma das mais famosas na Alemanha. Tem mais de duas mil lojas e emprega mais de 41 mil pessoas. De acordo com a Forbes, nem o jovem Lehmann nem o pai estão ativamente envolvidos na empresa – aliás, pouco se sabe sobre eles.

É preciso voltar à Alemanha há cerca de cinquenta anos para perceber a origem da riqueza de Kevin. Antes dele vieram os Werner, fundadores da dm, que criaram a empresa em 1973. Götz Werner, chefe da família, decidiu abrir a primeira dessas lojas em Karlsruhe, uma cidade de pouco mais de 300.000 habitantes no sudoeste da Alemanha, entre Stuttgart e a fronteira com a França.

Em 1974 juntou-se a Werner um empresário local chamado Guenther Lehmann, o pai de Kevin David. Os Lehmann tinham um negócio familiar de lojas de alimentação chamado Pfannkuch. Eram supermercados de sucesso fundados no final do século XIX na mesma cidade e que tinham 120 sucursais antes da Segunda Guerra Mundial, mas que depois dela se reduziram a metade. Nesse ano, Lehmann decidiu investir sem participação executiva na loja de Werner. 

Quando as farmácias começaram a crescer, superaram todas as expectativas e Lehmann transformou-se num milionário. Segundo a Forbes, os Lehmann têm agora 3,2 biliões de dólares (cerca de 2,7 euros), e ocupam a 616 posição de fortunas do mundo.

Há quatro anos, o pai de Kevin decidiu ceder-lhe metade da sua fortuna. O jovem tinha então 14 anos e só pôde receber em setembro esse dinheiro, ao completar a maioridade.

Kevin Lehmann, assim como o seu pai Guenther, não trabalha na farmácia. Essa é a função dos Werner, ainda que em 2011 Götz Werner tenha dado um passo atrás: primeiro cedeu 50% de sua fortuna a uma fundação de solidariedade que criou a partir da dm, e depois decidiu dar uma parte do conselho a seu filho Christoph, que em 2019 se transformou no presidente das farmácias.

O império lucra 12 biliões de euros por ano. A dm é a farmácia da Alemanha de maior lucro. Além de seu país, estão presentes em outros 12, principalmente a Áustria (com quase 400 lojas), Hungria, República Checa, Eslováquia e Croácia. No total 62.600 empregados em mais de 3.700 lojas e 3.100 centros de distribuição.
Kevin David Lehmann Forbes Guenther Lehmann Alemanha Götz Werner economia negócios e finanças política
Ver comentários