Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Bitcoin cai mais de 14% e valor está abaixo dos 32 mil euros

Instituições bancárias não deverão aceitar criptomoeda como forma de pagamento de serviços ou produtos.
Correio da Manhã 19 de Maio de 2021 às 17:23
Bitcoin criptomoedas
Bitcoin criptomoedas

O preço da moeda eletrónica Bitcoin caiu esta quarta-feira 14%, atingindo o valor mais baixo desde fevereiro de 2021, depois dos reguladores chineses terem proibido as instituições de oferecerem serviços com métodos de pagamento a partir daquela moeda.

Associações do setor bancário e da Internet relacionadas ao Banco Popular da China afirmaram que as instituições não devem aceitar criptomoedas como forma de pagamento de serviços ou produtos. "Moeda virtual não é moeda real e não pode ser usada no mercado", frisaram os responsáveis, em comunicado conjunto, revelado esta terça-feira à noite, referindo-se ao aumento de preço como "especulação". Defendem que o crescente uso da moeda "prejudicou gravemente a segurança da propriedade das pessoas e perturbou a ordem económica e financeira normal".

A Bitcoin estava avaliada esta quarta-feira por pouco mais de 38 mil e 500 dólares (cerca de 31 mil e 500 euros), de acordo com a corretora Bitstamp, numa altura em que a China prepara agora o lançamento da sua própria moeda digital.

O país asiático "tem a sua própria moeda virtual" e a falta de controlo nas transações torna a medida viável, para que "as pessoas não sejam enganadas", revelou um dos sócios do escritório de advogados em Hong Kong, Paul Haswell.

A pressão da China sobre as criptomoedas teve um forte crescimento em 2017, quando fechou as trocas de Bitcoin no país, que anteriormente representavam grande parte do comércio a nível global.

Os planos do governo na criação da sua própria moeda digital poderão sugerir um mecanismo que rivalize com várias outras plataformas financeiras.

Nos Estados Unidos, grandes instituições estão a explorar a oferta de investimentos em moedas virtuais para clientes de gestão e de patrimónios. Já o Banco Central Europeu sublinhou que a volatilidade do preço da Bitcoin tornou-a insegura e relacionam a moeda com o "potencial uso para fins ilícitos".

Outra razão para esta desvalorização da moeda assenta no facto de o fundador da empresa de carros elétricos Tesla, Elon Musk, ter escrito na semana passada na rede social Twitter que a marca não iria aceitar mais pagamentos em Bitcoin.

Depois dessa publicação, a moeda digital mais famosa do mundo caiu em mais de 15% e continua a perder valor.

Bitcoin China economia negócios e finanças finanças (geral) política economia (geral)
Ver comentários