Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Cocktail de remédios na cabeceira de Donald Trump para combater coronavírus

Presidente norte-americano está a ser tratado com remdesivir e regn-CoV2 e a tomar zinco, vitamina D, famotidina, melatonina e aspirina.
Paulo João Santos 4 de Outubro de 2020 às 09:43
Donald Trump
Donald Trump FOTO: Reuters

Transportado ao hospital militar Walter Reed, em Bethesda, Mayland, 17 horas após ter testado positivo para a Covid-19, Donald Trump apresenta todos os sintomas que caracterizam a doença, como a febre, a tosse e a congestão nasal, mas é o cansaço que mais se evidencia.

“Apresenta fadiga”, confidenciaram fontes médicas da Casa Branca. Nada, ainda assim, que o impeça , para já, de continuar a trabalhar. “Por precaução e por recomendação do seu médico e especialistas, o presidente trabalhará nos escritórios presidenciais [uma suíte especial] do hospital Walter Reed nos próximos dias”, esclarece a porta-voz da Casa Branca, Kayleigh McEnany, acrescentando que “continua de bom humor”.

O diagnóstico, por enquanto, não é grave, mas todos os cuidados são poucos, uma vez que se trata de um doente de alto de risco, por causa da idade (74 anos) e do peso (cerca de 110 quilos), agravados pelos hábitos de vida - não faz exercício nem mantém uma dieta saudável.

Até ao dia de sábado, ainda não tinha necessitado de apoio de oxigénio, mas tem estado sujeito a um verdadeiro cocktail de medicamentos. Desde logo o remdesivir, um antiviral intravenoso, que se tem revelado eficaz na diminuição do tempo de hospitalização. Recebeu, também, regn-CoV2, um dos vários medicamentos experimentais para a Covid-19, conhecidos como anticorpos monoclonais. Além destes tratamentos, o presidente norte-americano está a tomar zinco, Vitamina D, famotidina, melatonina e aspirina, de acordo com o seu médico, Sean P. Conley.

“Estou bem, acho eu. Obrigado a todos. Amor!!!”, foram as últimas palavras que Trump dirigiu aos americanos, através das redes sociais. Todas as ações de campanha foram canceladas e, apesar do seu estado de saúde não ser considerado grave, o regresso à Casa Branca é, por enquanto, uma incógnita.

Joe Biden reza por recuperação rápida do casal
O candidato democrata à presidência dos EUA, Joe Biden, disse sexta-feira, durante uma ação de campanha em Grand Rapids, Michigan, que espera a “rápida recuperação” de Trump e apelou para que a pandemia seja levada a sério. “Quero enviar as minhas orações ao presidente Trump e à primeira-dama, para que possam ter uma rápida recuperação”, desejou. O candidato democrata pediu, uma vez mais, para que a estratégia de combate à Covid-19 não seja politizada.

Líder da Coreia do Norte deseja rápida recuperação
A exemplo de outros líderes mundiais, também o presidente da Coreia do Norte, Kim Jong-un, enviou uma mensagem a Trump e à sua mulher, Melania, desejando uma recuperação o “mais rápido possível”. Na mensagem, Kim Jong-un transmite grande "simpatia" pelo casal presidencial norte-americano e diz-se convencido de que Trump e Melania conseguirão “superar” a doença.


pormenores
Debate
O segundo debate para as presidenciais norte-americanas está marcado para 15 de outubro, em Miami, mas não é seguro que se realize. Tudo vai depender da evolução do estado de saúde de Donald Trump. As eleições realizam-se a 3 de novembro.

Infetados
São já há sete o infetados no ‘círculo’ de Donald Trump, além da mulher, Melania. É o caso do diretor de campanha, Bill Stepien; da ex-assessora Kellyanne Conway e dos senadores republicanos Mike Lee (Utah) e Thomas Tillis (Carolina do Norte), entre outros.

Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Ver comentários