Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

‘Coelhinha’ da Playboy muda de vida e torna-se profissional de saúde para combater a Covid-19

Modelo de 25 anos está na linha da frente lutar contra a pandemia.
Pedro Zagacho Gonçalves(pedrogoncalves@cmjornal.pt) 21 de Fevereiro de 2021 às 10:29
Danielle Lupo é modelo da Playboy e profissional de saúde
Danielle Lupo é modelo da Playboy e profissional de saúde
Danielle Lupo é modelo da Playboy e profissional de saúde
Danielle Lupo é modelo da Playboy e profissional de saúde
Danielle Lupo é modelo da Playboy e profissional de saúde
Danielle Lupo é modelo da Playboy e profissional de saúde
Danielle Lupo é modelo da Playboy e profissional de saúde
Danielle Lupo é modelo da Playboy e profissional de saúde
Danielle Lupo é modelo da Playboy e profissional de saúde
Danielle Lupo é modelo da Playboy e profissional de saúde
Danielle Lupo é modelo da Playboy e profissional de saúde
Danielle Lupo é modelo da Playboy e profissional de saúde
Danielle Lupo é modelo da Playboy e profissional de saúde
Danielle Lupo é modelo da Playboy e profissional de saúde
Danielle Lupo é modelo da Playboy e profissional de saúde

Se Danielle Lupo já cortou a respiração a muita gente na carreira como modelo, agora, a jovem norte-americana tem que pedir aos doentes que respirem fundo. É que Danielle, que já brilhou como ‘coelhinha’ na capa da mítica Playboy, mudou de vida e agora é profissional de saúde na área de cardiologia, dedicando-se ao combate à Covid-19 na linha da frente de um hospital norte-americano.

Ao Daily Star, a jovem, que há 10 anos concilia a carreira de modelo e de profissional de saúde, abriu o coração e contou como, no último ano, pôs a carreira de ‘coelhinha’ em pausa para se dedicar a 100% aos outros, como técnica de cardiografia, a ajudar os mais afetados pela Covid-19 que estão internados.

"Fiz 25 anos este ano e confesso que comecei a sentir alguma ansiedade [com a pandemia]. Chegou a ponto de ter que ser assistida! Mas felizmente não apanhei Covid-19, porque sou muito rigorosa com o equipamento de proteção. A Covid-19, obviamente, afetou-me, como afeta todos os profissionais, em termos de stress, medos, em especial de ficar infetada e transmiti-lo à minha família e aos que mais amo", conta Danielle, ressalvando ainda assim que a experiência "é possivelmente a mais importante lição de vida" que vai aprender.

Danielle ficou conhecida após aparecer escaldante em várias publicações norte-americanas, até que foi coroada ‘coelhinha’ do mês de maio pela Playboy, em 2018. Mas a jovem não descarta voltar a trabalhar como modelo. "Definitivamente vou voltar a posar. Acontece que agora também não há muito a acontecer nessa área devido à Covid… Mas espero que tudo volte a ser seguro, que volte ao normal! Tenho saudades das pessoas, da moda, da diversão, da criatividade… Tenho saudades de me sentir inspirada dessa forma", diz ansiosa.

Confessando ser feliz nos dois trabalhos, a mulher admite que muitos julgam a sua inteligência com base nas capas que protagonizou. A norte-americana está neste momento a terminar o doutoramento em psicologia, após já se ter formado na área e ter tirado um curso técnico de cardiografia.

"Eu tenho que aturar de tudo, desde duvidarem da minha inteligência até que estou mesmo a tirar um doutoramento. Só porque estou associada à Playboy. Mas francamente o meu passado e a minha vida pessoal são isso mesmo, são coisas pessoais. São as minhas escolhas e de mais ninguém. E eu estou orgulhosa de tudo o que atingi, de tudo o que estou a fazer neste momento e não trocaria o meu trabalho por nada deste mundo", atira Danielle aos críticos.

A norte-americana até recebeu concelhos dos herdeiros de Hugh Hefner, o magnata que foi o fundador da Playboy. O Cooper [filho de Hugh Hefner] dizia-me que eu era como o caso Clark Kent/Super-Homem. Vestida com bata, cabelo desalinhado, com óculos e sem maquilhagem num hospital, ninguém diria que eu era modelo da Playboy", brinca a jovem.

Ver comentários