Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Congressista radical dos EUA acumula polémicas

Republicanos sob pressão para afastar Marjorie Taylor Greene, defensora de teorias da conspiração e de Trump.
Ricardo Ramos 31 de Janeiro de 2021 às 09:51
Comportamento de Marjorie Taylor Greene está a incomodar a liderança republicana do Congresso
Comportamento de Marjorie Taylor Greene está a incomodar a liderança republicana do Congresso FOTO: Erin Scott / reuters
A liderança republicana na Câmara dos Representantes dos EUA está a ser pressionada para afastar ou, pelo menos, censurar, a polémica congressista Marjorie Taylor Greene, conhecida apoiante de Trump e da teoria da conspiração QAnon, que tem acumulado polémicas desde a sua chegada ao Congresso, há menos de um mês. A mais recente prende-se com uma alegada perseguição à congressista democrata Cori Bush, que foi forçada a mudar de gabinete por "não se sentir segura" perto de Greene.

Bush denunciou que foi perseguida e intimidada por Greene e pelos seus assessores nos corredores do Congresso. "Veio atrás de mim, aos gritos e sem máscara", acusou, adiantando que pediu para mudar de gabinete por motivos de segurança. "Não posso continuar a olhar para trás das costas a pensar se uma supremacista branca vem atrás de mim", afirmou. Greene desmentiu o incidente e acusou Bush de ser "a líder da turba terrorista do Black Lives Matter de St. Louis".

Greene defendeu no passado a morte de dirigentes democratas e partilhou vídeos a dizer que o grande incêndio de 2018 na Califórnia foi "iniciado a partir do espaço". Na semana passada veio também a público um vídeo antigo que mostra Greene a intimidar um adolescente que sobreviveu ao massacre no Liceu de Parkland, o que causou mal-estar entre a liderança republicana, que já convocou a congressista para uma reunião urgente.
Ver comentários