Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Coronavírus chega à família de Donald Trump

Kimberly Guilfoyle, namorada de Donald Trump Jr., testou positivo para a doença.
Pedro Zagacho Gonçalves(pedrogoncalves@cmjornal.pt) 5 de Julho de 2020 às 09:33
Kimberly Gilfoyle , à direita, é oficial do Comité de Finanças da campanha de reeleição do atual presidente dos EUA
Números triplicaram em 10 dias
Kimberly Gilfoyle , à direita, é oficial do Comité de Finanças da campanha de reeleição do atual presidente dos EUA
Números triplicaram em 10 dias
Kimberly Gilfoyle , à direita, é oficial do Comité de Finanças da campanha de reeleição do atual presidente dos EUA
Números triplicaram em 10 dias
O novo coronavírus chegou à esfera familiar de Donald Trump. Kimberly Guilfoyle, que namora com o filho mais velho do presidente dos EUA, Donald Trump Jr., testou este sábado positivo para a Covid-19. A ‘nora’ de Trump, de 51 anos, é oficial do Comité de Finanças da campanha para a reeleição do presidente, e era esperada nas celebrações do Dia da Independência dos EUA, assinalado este sábado, mas acabou por estar ausente devido à doença.

“Depois de ter testado positivo, Kimberly foi imediatamente isolada para limitar qualquer exposição. Ela está bem e vai ser retestada, para garantir que o diagnóstico está correto, uma vez que está assintomática”, explicou Sergio Gor, que lidera o comité de campanha onde trabalha a advogada e ex-comentadora de televisão. O responsável adiantou ainda que o filho mais velho de Donald Trump “também foi testado e deu negativo”, mas, por precaução, encontra-se em isolamento e cancelou toda a agenda para os próximos dias.

Kimberly e Donald Trump Jr. iam para Keystone, no estado da Dakota do Sul, onde o presidente dos EUA discursou junto ao Monte Rushmore, mas não viajaram a bordo do Air Force One, nem tiveram qualquer contacto com Donald Trump e a primeira-dama, Melania, segundo fonte da Casa Branca.

Junto à montanha onde estão esculpidos os rostos de quatro presidentes, Trump discursou para cerca de 7 500 pessoas, mas não fez referência à Covid-19, que teve no mesmo dia o maior aumento de infetados de sempre nos EUA. O presidente optou por defender os símbolos nacionais, fazendo referência às estátuas e monumentos que têm sido vandalizados nos protestos antirracistas no país.

Trump condenou as “multidões zangadas” que atacam “os memoriais mais sagrados” e classificou os protestos como “uma campanha impiedosa para apagar a nossa história, difamar os nossos heróis e eliminar os valores”. “Não vamos ser silenciados”, afirmou, dando ordem para que seja construído um jardim com estátuas dos “heróis nacionais”.

Catalunha decretou confinamento a mais de 200 mil pessoas
Mais de 200 mil habitantes da região de Segrià, na Catalunha, voltaram a ficar em quarentena obrigatória desde o meio dia de sábado, depois de se terem registado vários surtos da Covid-19 na região e os números terem triplicado em apenas 10 dias. As entradas e saídas da zona afetada foram restringidas e as concentrações com mais de 10 pessoas proibidas.

SAIBA MAIS
7500
pessoas estiveram a assistir ao discurso de Donald Trump no Monte Rushmore e ao espectáculo pirotécnico que se seguiu. Muito poucas tinham máscara.

Festa de luxo sem máscara
A imprensa dá conta de que Kimberly e Donald Trump Jr. estiveram numa festa nos Hamptons "com mais de 100 pessoas" em que ninguém usou máscara ou manteve o distanciamento.

Comício com infetados
A ‘nora’ de Trump discursou no comício de Tulsa, Oklahoma, onde foram detetados oito oficiais de campanha infetados com o novo coronavírus.
Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Ver comentários