Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

De Diana a Henrique VII: Os segredos e detalhes dos funerais da realeza britânica

Cerimónias fúnebres da realeza ficam sempre marcadas na história.
Correio da Manhã 17 de Abril de 2021 às 11:09
Funeral da Princesa Diana, em 1997
Funeral da Princesa Diana, em 1997 FOTO: Getty Images

Os funerais da realeza são ocasiões de grande emoção pública e ficam fortemente marcados na história. A propósito do funeral do Príncipe Filipe, que se realizará neste sábado, há alguns detalhes que não passaram despercebidos, no passado, em funerais de várias personalidades da realeza britânica.

A Rainha Isabel II, esposa do príncipe Filipe, fará uma pausa para um momento de reflexão enquanto o caixão é transportado ao longo da cerimónia, num Land Rover modificado e idealizado pelo príncipe Filipe.

O filho do duque de Endiburgo, o príncipe Carlos, e os netos, os príncipes William e Harry, estarão entre os que caminham atrás do caixão. 

A princesa de Gales, Diana, ainda se mantém bem viva na memória de todos, tendo sido uma morte que chocou o mundo. Morreu em 1997, aos 36 anos, num acidente de carro em Paris e os 
convidados do funeral incluíam muitas celebridades que eram amigas de Diana, incluindo Sir Cliff Richard, George Michael, Chris de Burgh, Mariah Carey, Tom Cruise e Luciano Pavarotti.

No Palácio de St James, em Londres, o Príncipe Filipe, o Príncipe Carlos e os seus filhos, William e Harry, caminharam atrás no cortejo fúnebre, seguidos por 500 representantes das instituições de caridade que Diana apoiava.

Elton John trouxe brilho à cerimónia e cantou uma versão reescrita da sua canção 'Candle in the Wind'.

A Rainha Elizabeth, a Rainha Mãe, morreu no palácio de Inglaterra, Royal Lodge, no Grande Parque de Windsor Great Park, a 30 de março de 2002, com a filha Isabel II, ao lado da sua cama.

O caixão passou por mais de 200 mil pessoas do Palácio de St. James, em Londres. 

O sino tenor da Abadia de Westminster tocou 101 vezes, dedicada a todos os anos que viveu e o caixão foi levado numa carruagem para a Abadia de Westminster.

O caixão foi então levado de carro para a Capela de São Jorge, no Castelo de Windsor, onde ela foi enterrada ao lado do  marido, Jorge VI.

Geoge V, antigo Rei do Reino Unido, morreu em 1936 e o jornal The Daily Mirror revela alguns detalhes sobre o funeral. Durante a procissão na cerimónias funebre, parte da Coroa Imperial do Estado caiu do topo do caixão em direção a uma vala.

Depois de reinar durante 64 anos, a antiga Rainha do Reino Unido, Vitória, morreu, em 1904, aos 81 anos, e antes da sua morte exigiu que todos os que marcassem presença no funeral fossem vestidos de branco, incluindo os cavalos.

A Rainha exigiu também que queria ser enterrada com o seu véu de noiva e aliança de casamento, tendo também deixado claro que gostaria que fossem colocados no caixão um molde de gesso da mão do seu marido, Príncipe Alberto.

A jornada de Henrique VIII, antigo Rei de Inglaterra, do Palácio de Whitehall, até ao local de descanso no Castelo de Windsor foi provavelmente o cortejo mais extravagante da história britânica, no ano de 1547. 

A procissão de seis quilómetros durou dois dias, enquanto centenas de pessoas acompanhavam um carro funerário, puxado por oito cavalos montados por crianças.

O carro funerário era decorado com tecidos pretos e dourados e coberto com ornamentos elaborados e milhares de velas acesas. Era tão grande que as estradas tiveram de ser repavimentadas e as árvores cortadas.

A Rainha Elizabeth I morreu em 1906, aos 69 anos, e após sua morte, que se acredita ter-se tratado de envenenamento, o corpo embalsamado da Rainha Elizabeth I permaneceu no Palácio de Whitehall durante três semanas antes de ser sepultado.

Ver comentários