Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Dona de casa encontra "alma gémea" em cadeia e torna-se melhor amiga de traficante de droga

Victoria Oak afirma que troca de correspondência com Andy Hawke durante sete anos lhe mudou a vida.
Correio da Manhã 12 de Julho de 2021 às 14:36
Victoria Oak
Victoria Oak FOTO: Direitos Reservados

Insatisfeita com o seu casamento que durava há 28 anos, Victoria Oak, uma dona de casa e mãe de quatro filhos de Londres, diz ter reencontrado o amor ao conhecer Andy Hawke. 

O homem de 63 anos estava a cumprir uma pena de 40 anos de cadeia por tráfico de droga em Bang Kwang, na Tailândia, quando conheceu Samantha, filha de Victoria, que estava a realizar um sabático em 2006.

"Foi a minha filha Sam Oak quem conheceu Andy primeiro. Ela estava num ano sabático e foi visitar cidadãos britânicos presos na infame Prisão Central de Bang Kwang, na Tailândia", confidencia. "Eles deram-se bem imediatamente e começaram a trocar cartas quando ela voltou", acrescenta.

Sam encorajou a mãe a falar também com Andy e uma troca de cartas tornou-se numa amizade tão profunda que levaria a dona de casa a embarcar numa peregrinação

Com o apoio de Andy, Victoria pediu o divórcio e começou a escrever um livro sobre sua jornada com o homem que ela considera como ela "alma gémea".

Atualmente, a dona de casa é escritora a tempo inteiro e revela que, na altura, ambos se sentiam presos. Ela no casamento, ele na cadeia. 

"É tão raro atualmente receber cartas pelo correio e foi incrível receber uma carta manuscrita enviada pelo correio. Tornou-se uma verdadeira amizade e conversamos sobre tudo. O Andy nunca me disse o que fazer. Ele nunca me encorajaria a deixar meu marido, realmente não é o tipo de pessoa que ele é. Mas acho que só ter alguém com quem conversar ajudou. Foi uma forma de escape", explica a mulher. 

Havia poucas perpectivas de Andy sair da cadeia, mas Victoria tinha esperança. Cristã convicta, depois de mais de seis anos a trocar cartas, em maio de 2012, Victoria decidiu embarcar numa peregrinação de cinco semanas na Galiza, Espanha, ao longo da rota dos Caminhos de Santiago até à catedral de Santiago de Compostela, orando para que Andy recebesse libertação antecipada.

Inesperadamente, com duas semanas de caminhada, Andy foi finalmente perdoado e, com o seu regresso, em junho de 2012, Victoria ganhou coragem para pedir o divórcio.

"Parei em cada pedra ao longo da trilha e coloquei uma oração", disse. "Foi realmente uma experiência espiritual e duas semanas depois da minha viagem, recebi um telefonema de Sam a dizer que Andy tinha sido oficialmente perdoado. Eu estava na lua. Eu não podia acreditar que ele finalmente estava livre e minhas orações haviam sido atendidas. Senti que estávamos no caminho certo e, depois de completar a jornada, tive coragem de pedir o divórcio ao meu marido", conta.

Quando Andy foi solto em março de 2013, Victoria convidou-o para partilhar sua casa, onde ficou por 18 meses até que Andy se estabeleceu em Ceredigion, no País de Gales.

"Somos os teimosos e eu sou muito otimista, enquanto Andy pode ficar bastante deprimido. Nem sempre nos cumprimentávamos, então 18 meses depois, em agosto de 2014, Andy se mudou, eventualmente encontrando casa no País de Gales", afirma. Atualmente são melhores amigos e partilham a sua história no livro escrito por Victoria, 'Sentenced'.


Tailândia Victoria Oak Victoria Londres Andy Hawke Sam Oak desporto religião
Ver comentários