Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

"Ele queria que fosse como as vítimas do nazismo": Natascha foi raptada em criança e passou oito anos em cativeiro

Raptor era admirador de Adolf Hitler e forçou austríaca, que foi raptada aos 10 anos, a rapar a cabeça como as vítimas do Holocausto.
3 de Agosto de 2021 às 21:23
Natascha Kampusch
Natascha Kampusch
Natascha Kampusch
Natascha Kampusch
Natascha Kampusch
Natascha Kampusch
Natascha Kampusch
Natascha Kampusch
Natascha Kampusch

Passaram-se 15 anos desde que Natascha Kampusch conseguiu escapar a um inferno que durou oito anos. A austríaca foi raptada quando tinha 10 anos e mantida numa pequena masmorra até completar 18 anos. 

Wolfgang Priklopil, o raptor, era um ávido admirador de Adolf Hitler e a austríaca recorda como este queria que fosse como uma das vítimas do Holocausto. 

Numa entrevista dada antes do 15º aniversário de ter conserguido escapar, Natascha recorda detalhes de como foi mantida em cativeiro. Um inferno que ainda hoje lhe traz memórias e a obrigam a recorrer a um terapeuta uma vez por semana. 

"Ele admirava Adolf Hitler e queria que eu fosse como as vítimas do nazismo. Dava-me pouca comida, pouca roupa, humilhava-me, obrigava-me a fazer trabalhos pesados e rapou a minha cabeça", relata.

A austríaca foi mantida em cativeiro numa espécie de cave numa cidade perto de Viena. Natascha, atualmente com 33 anos, uma autora e designer de joias de sucesso afirma que, quando escapou, não se encaixava na imagem de uma vítima normal.

"As pessoas provavelmente pensaram que eu tinha perdido um olho ou algo assim, que eu chorava o dia todo e estaria sob a influência de medicamentos, muitos poderiam preferir isso como a imagem de uma vítima", afirma.

Priklopil suicidou-se após a fuga da jovem para evitar a justiça. Natascha é atualmente a casa onde foi mantida em cativeiro após as autoridades lhe terem dado a casa como compensação financeira pelos anos de terror vividos. A jovem não vive na casa mas visita-a regularmente para ver se está tudo bem com a propriedade. 

Wolfgang Priklopil Natascha Kampusch Adolf Hitler crime lei e justiça crime rapto questões sociais
Ver comentários