Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

EUA afirmam ter matado líder da milícia somali Al-Shabab

O ataque foi perpetrado no passado dia 2 e provocou também a morte a dois apoiantes daquele grupo.
7 de Dezembro de 2015 às 20:09
A Somália vive em estado de guerra e caos desde 1991
A Somália vive em estado de guerra e caos desde 1991 FOTO: Getty Images

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos assegurou esta segunda-feira que matou um "importante líder" da milícia integracionista islâmica somali Al-Shabab, identificado como Abdirahman Sandhere, durante um ataque aéreo na Somália.

Segundo o Departamento de Defesa, o ataque foi perpetrado no passado dia 02 e provocou também a morte a dois apoiantes daquele grupo. 

Abdirahman Sandhere, também conhecido como "Ukash", era um "importante líder" da Al-Shabab e a sua "saída do campo de batalha é um significativo golpe para a milícia somali", disse o porta-voz do Pentágono.

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos não identificou os outros dois apoiantes da milícia e apenas explicou que morreram durante o ataque aéreo.

A milícia integrista islâmica anunciou em 2012 ter aderido ao grupo terrorista Al-Qaida e lutar para instaurar um Estado muçulmano na Somália.

Ataques daquela milícia provocaram em quase um ano a morte a mais de 100 pessoas. A Somália vive em estado de guerra e caos desde 1991, quando foi deposto o ditador Mohamed Siad Barre, o que deixou o país em Governo efetivo e nas mãos de milícias radicais islâmicas, senhores da guerra e grupos de delinquentes armados.

Departamento de Defesa dos Estados Unidos Abdirahman Sandhere Al-Qaida Somália terrorismo ataque
Ver comentários