Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Eurodeputado em orgia gay tinha droga na mochila

Húngaro Jozsef Szajer abandonou Parlamento Europeu e foi afastado pelo partido do ultraconservador Viktor Orbán.
Ricardo Ramos 3 de Dezembro de 2020 às 08:37
Jozsef Szajer foi apanhado em orgia homossexual
O eurodeputado com o PM húngaro Viktor Orbán, seu aliado há 30 anos
Festa ilegal decorreu no primeiro andar deste prédio no centro de Bruxelas
Jozsef Szajer foi apanhado em orgia homossexual
O eurodeputado com o PM húngaro Viktor Orbán, seu aliado há 30 anos
Festa ilegal decorreu no primeiro andar deste prédio no centro de Bruxelas
Jozsef Szajer foi apanhado em orgia homossexual
O eurodeputado com o PM húngaro Viktor Orbán, seu aliado há 30 anos
Festa ilegal decorreu no primeiro andar deste prédio no centro de Bruxelas
O eurodeputado húngaro Jozsef Szajer, apanhado sexta-feira numa orgia homossexual que violou as regras do confinamento em Bruxelas, tinha droga na mochila, revelou a polícia belga. O caso está provocar uma autêntica tempestade política na Hungria, uma vez que o parlamentar, que é casado, foi eleito pelo ultraconservador partido Fidesz, do PM Viktor Orbán, e até ajudou a escrever a polémica Constituição do país que proíbe os casamentos entre pessoas do mesmo sexo.

Szajer, que se demitiu do cargo de eurodeputado e foi afastado pelo Fidesz, foi apanhado em flagrante pela polícia, que foi chamada a um apartamento devido ao excesso de barulho e suspeitas de violação das regras do confinamento. Quando os agentes entraram na casa, depararam-se com cerca de 25 homens, nas sua maioria despidos. O eurodeputado foi apanhado quando tentava fugir por uma janela dos fundos, tendo a polícia encontrado ecstasy na sua mochila. Szajer negou que a droga fosse sua e ofereceu-se para fazer um teste de despistagem, mas a polícia recusou.

O organizador da festa, David Manzheley, revelou que o eurodeputado estava na festa como convidado de outra pessoa. “Costumo convidar alguns amigos, que por sua vez trazem outros amigos, e divertimo-nos juntos. Conversamos um pouco, bebemos uns copos, como se estivéssemos num café. E também fazemos sexo uns com os outros”, afirmou.

O PM, Viktor Orbán, disse esta quarta-feira que o comportamento de Szajer é “incompatível com os valores da nossa família política”. “Não esquecemos nem repudiamos o que fez nos últimos 30 anos, mas os seus atos são inaceitáveis e indefensáveis”, afirmou.
Ver comentários