Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Expulsão de deputado abre crise política em Espanha

Alberto Rodríguez, do Podemos, perdeu mandato após ser condenado por agredir um polícia.
Ricardo Ramos 24 de Outubro de 2021 às 10:28
Sánchez fala com Yolanda Díaz, do Podemos (dir.)
Alberto Rodríguez perdeu mandato
Sánchez fala com Yolanda Díaz, do Podemos (dir.)
Alberto Rodríguez perdeu mandato
Sánchez fala com Yolanda Díaz, do Podemos (dir.)
Alberto Rodríguez perdeu mandato
A perda de mandato de um deputado do Unidas Podemos, condenado por agredir um polícia durante uma manifestação, abriu uma grave crise no governo de coligação espanhol, com o partido de Ione Belarra a apresentar uma queixa por prevaricação contra a presidente do Parlamento, a socialista Carmen Batet.

Alberto Rodríguez foi condenado há duas semanas pelo Supremo Tribunal a um mês e meio de cadeia, suspenso através do pagamento de uma multa de 540 euros, e à pena acessória de inabilitação de detenção de cargos públicos, por ter pontapeado um polícia durante um protesto em Tenerife em 2014. O Unidas Podemos entende, no entanto, que a pena acessória, que implicou a perda de mandato do seu deputado, deve ser igualmente suspensa, o que esteve na origem da atual crise.

Na sexta-feira, após alguns dias de hesitação, a presidente do Parlamento, Carmen Batet, formalizou a perda de mandato de Rodríguez, o que provocou uma reação furibunda do Unidas Podemos. Acusando Batet de “ceder à pressão da extrema-direita” para afastar o seu deputado, o partido apresentou uma queixa formal contra a presidente do Parlamento e terceira figura do Estado por prevaricação, o que causou profundo mal-estar junto dos parceiros de coligação socialistas, incluindo o PM, Pedro Sánchez. Para o PSOE, a queixa do Podemos constitui um “ataque” contra uma dirigente socialista que ultrapassou “muitas linhas vermelhas”.
Ver comentários