Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Extradição de Saab agrava crise política na Venezuela

EUA querem julgar empresário colombiano detido em Cabo Verde. Governo de Caracas suspende negociações com oposição.
Manuela Guerreiro e Lusa 18 de Outubro de 2021 às 08:26
Alex Saab foi detido em junho de 2020 em Cabo Verde e agora extraditado
Alex Saab foi detido em junho de 2020 em Cabo Verde e agora extraditado FOTO: Leonardo Fernandez Viloria/REUTERS
A extradição para os Estados Unidos do empresário colombiano Alex Saab, considerado um testa-de-ferro do presidente da Venezuela, agravou a crise política em Caracas. Em protesto contra a extradição - o regime de Nicolás Maduro prefere chamar-lhe sequestro -, o governo venezuelano suspendeu as negociações com a oposição que decorrem no México com a mediação da Noruega, e que deveriam ter recomeçado este domingo.

Alex Saab, de 49 anos, foi detido a 12 de junho de 2020, durante uma escala no Aeroporto Internacional Amílcar Cabral, na ilha do Sal, Cabo Verde, com base num mandado de captura internacional emitido pelos EUA. Washington pediu a extradição, acusando-o de branquear 295 milhões de euros para pagar atos de corrupção de Maduro, através do sistema financeiro norte-americano.

A extradição do empresário colocou Cabo Verde no centro de uma disputa entre Caracas e Washington. O Ministério da Justiça de Cabo Verde diz ter recebido garantias dos Estados Unidos de que o colombiano terá “um processo justo e equitativo” e que “não será condenado a penas que não existam no ordenamento jurídico cabo-verdiano, designadamente pena de morte, pena de prisão perpétua, tortura, tratamento desumano, degradante ou cruel”. Saab será esta segunda-feira presente a um juiz em Miami.
Ver comentários