Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Fornecedor de internet Fastly diz ter resolvido falha que afetou sites em todo o mundo

Dezenas de portais em todo o mundo deixaram de funcionar.
Lusa 8 de Junho de 2021 às 14:11
EUA querem obrigar gigantes tecnológicas a pagarem pelos conteúdos noticiosos que replicam
EUA querem obrigar gigantes tecnológicas a pagarem pelos conteúdos noticiosos que replicam FOTO: Dado Ruvic
O fornecedor de serviços de internet norte-americano Fastly diz ter identificado e resolvido as falhas que deixaram hoje dezenas de portais em todo o mundo sem serviço.

"A nossa rede global volta a estar em linha. Identificou-se o problema e aplicou-se uma solução. Os clientes podem ter uma maior carga à medida que regressem os serviços globais", refere a companhia no portal oficial.

Os problemas nas páginas de meios de comunicação social, redes sociais e plataformas de compras em rede começaram por volta das 11h00 sendo que minutos antes a Fastly publicava um aviso sobre "impactos" nos serviços CND (canais de distribuição de conteúdos). 

Às 11h44 a empresa indicava que o problema tinha sido identificado e que estava a encontrar uma solução. 

Finalmente, às 11h57 a companhia dizia ter resolvido a falha, mas advertia que alguns clientes podiam estar a ter "problemas de carga mais lenta" nas páginas de internet.

Minutos depois, através de uma mensagem difundida pela rede social Twitter, a Fastly explicava que tinha sido identificada uma configuração de serviço que provocou interrupções nos POP (milhares de pontos de presença) a nível mundial.

"Desativamos essa configuração. A nossa rede global volta a estar em linha", referia a mensagem. 

Entre outros, estiveram afetados os serviços das publicações digitais dos jornais New York Times, The Guardian, Financial Times e Le Monde, além da plataforma Amazon. 
Fastly política economia negócios e finanças artes cultura e entretenimento Internet censura economia (geral)
Ver comentários