Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

França e Inglaterra trocam acusações devido a tragédia no Canal da Mancha

França acusa britânicos de “má gestão” da crise migratória. Londres diz que autoridades francesas não fazem o que é preciso.
Ricardo Ramos 26 de Novembro de 2021 às 08:53
Autoridades francesas recolhem o corpo de um migrante que deu à costa ontem na região de Calais
Autoridades francesas recolhem o corpo de um migrante que deu à costa ontem na região de Calais
A França e o Reino Unido trocaram esta quinta-feira  acusações pelo trágico naufrágio que na véspera custou a vida a 27 migrantes no Canal da Mancha, enquanto dezenas de pessoas continuavam a arriscar a vida na perigosa travessia.

Pelo menos 50 migrantes chegaram esta quinta-feira à costa britânica, apesar de um alegado reforço da vigilância do lado francês da Mancha para evitar a partida de mais embarcações. O governo britânico diz que a França pode fazer mais para combater o tráfico de pessoas e voltou a oferecer meios e homens para realizar patrulhas navais conjuntas, oferta que até agora tem sido rejeitada por Paris. “Temos tido dificuldade em convencer os nosso parceiros franceses a fazerem as coisas que precisam de ser feitas”, afirmou o primeiro-ministro Boris Johnson.

O presidente francês Emmanuel Macron anunciou que a vigilância costeira vai ser reforçada com reservistas do Exército e drones, mas o ministro do Interior, Gerard Darmanin, acusou os britânicos de “má gestão” da crise migratória. “Este é um problema internacional. Os nossos amigos belgas, alemães e britânicos têm o dever de ajudar”, afirmou.

Os migrantes, incluindo três crianças e uma mulher grávida, morreram quando o bote de borracha em que faziam a travessia se afundou. Apesar da tragédia, várias embarcações com migrantes voltaram esta quinta-feira a fazer-se ao mar na região de Calais, algumas das quais sob o olhar indiferente da polícia francesa.
Ver comentários