Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Gabriel Wortman, o dentista que em 12 horas se tornou no maior assassino da história do Canadá

Uma perseguição que durou meio dia e acabou com 16 mortos, entre as vítimas mortais está uma veterana da polícia e mãe de dois filhos.
Iúri Martins(iurimartins@cmjornal.pt) 20 de Abril de 2020 às 07:33
Gabriel Wortman, o dentista que em 12 horas se tornou no maior assassino da história do Canadá
Gabriel Wortman, o dentista que em 12 horas se tornou no maior assassino da história do Canadá
Heidi Stevenson, mãe de duas crianças e veterana da Royal Canadian Mounted Police. Uma das vítimas mortais
16 mortos em perseguição policial na Nova Escócia, no Canadá
Gabriel Wortman, o dentista que em 12 horas se tornou no maior assassino da história do Canadá
Gabriel Wortman, o dentista que em 12 horas se tornou no maior assassino da história do Canadá
Heidi Stevenson, mãe de duas crianças e veterana da Royal Canadian Mounted Police. Uma das vítimas mortais
16 mortos em perseguição policial na Nova Escócia, no Canadá
Gabriel Wortman, o dentista que em 12 horas se tornou no maior assassino da história do Canadá
Gabriel Wortman, o dentista que em 12 horas se tornou no maior assassino da história do Canadá
Heidi Stevenson, mãe de duas crianças e veterana da Royal Canadian Mounted Police. Uma das vítimas mortais
16 mortos em perseguição policial na Nova Escócia, no Canadá
Gabriel Wortman, um especialista em próteses dentárias, era até este domingo apenas um residente na província da Nova Escócia no leste do Canadá. Mas em apenas 12 horas tudo mudou, o homem de 51 anos tornou-se no maior assassino da história do país.

Meio dia de perseguição que acabou com Gabriel Wortman abatido a tiro pelas autoridades. No entanto, um rasto de sangue foi deixado em várias povoações do leste do Canadá, 16 pessoas morreram às mãos do dentista especialista em próteses. Uma das vítimas, Heidi Stevenson, era veterana da Royal Canadian Mounted Police com 23 anos de serviço e mãe de duas crianças.

Gabriel Wortman vestiu parte de um uniforme da polícia real do Canadá e utilizou uma réplica de um carro das autoridades para iniciar a sucessão de crimes que culminaram na morte de 16 pessoas, havendo ainda registo de um polícia ferido a tiro no momento da detenção.

As vítimas mortais foram sendo encontradas pela polícia ao longo da perseguição. Wortman deflagrou vários fogos durante a fuga.

As autoridades do Canadá estão a investigar as motivações dos homicídios mas não têm dúvidas que os ataques foram planeados devido à utilização de um carro idêntico ao da polícia e parte do uniforme dos oficiais canadenses.


O especialista em próteses dentárias era proprietário de uma clínica em Dartmouth e tinha algumas outras propriedades na Nova Escócia. Acabou abatido a tiro perto de uma bomba de gasolina após 12 horas em fuga.

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, lamentou a morte das 16 pessoas e endereçou as condolências às famílias das vítimas.

O maior crime da história do Canadá
É preciso recuar até 1989 para encontrar um crime comparável ao deste fim-de-semana no Canadá. O massacre da École Polytechnique em Montreal acabou com 14 mulheres assassinadas e outras 14 pessoas feridas. Em 2017, um nacionalista branco abriu fogo dentro de uma mesquita no Quebec, matando seis pessoas. Já em 2018, um ataque em Toronto vitimou 10 pessoas.
Gabriel Wortman Canadá Nova Escócia crime lei e justiça questões sociais crime morte assassino
Ver comentários