Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Hackers invadem suposta conta de ex-juiz Sérgio Moro no telegram e disparam conteúdos de pornografia

Mistério foi desvendado horas depois, quando a assessoria do ex-magistrado veio a público afirmar que a conta não lhe pertencia.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 3 de Novembro de 2021 às 18:03
Sérgio Moro
Sérgio Moro FOTO: LUSA

Na madrugada e manhã desta quarta-feira, muitos brasileiros que utilizam o Telegram foram surpreendidos ao receberem mensagens enviadas supostamente pelo ex-juiz e ex-ministro da Justiça Sérgio Moro e, mais ainda, ao abrí-las e encontrarem conteúdos pornográficos. No remetente, a indicação do domínio "sf_moro" parecia não deixar dúvidas sobre quem enviara o estranho conteúdo, por ser o mesmo que o antigo juiz que comandou a Operação Lava Jato usa no Twitter.

O mistério só foi desvendado horas depois, quando a assessoria do ex-magistrado veio a público afirmar que a conta "sf_moro" no Telegram, igual à que o antigo juiz usa na outra plataforma digital, na verdade não é dele e sim de uma outra pessoa, que alegadamente a criou e usa de forma ilegal. Depois disso, o Telegram cancelou a conta, seja ela de quem for, e as mensagens com pornografia deixaram de ser enviadas.

Aparentemente a conta, agora anulada, foi invadida por hackers que, tal como os outros utentes do Telegram, imaginaram que esta pertencia ao ex-magistrado. A invasão aconteceu exactamente na semana em que Sérgio Moro assinou a sua filiação a um partido político, o Podemos. Revelou ainda ter deixado a consultoria nos EUA onde trabalhava desde que deixou o governo de Bolsonaro, em 2020, para entrar de vez na política e disputar em 2022 a presidência do Brasil, primeira opção dele e do partido, ou uma vaga no Senado.

Moro, que parece não preocupar-se muito com as regras de segurança dos equipamentos electrónicos que usa, já em 2019, quando ainda era ministro da Justiça, teve o seu telemóvel hackeado. Os invasores divulgaram centenas  de mensagens trocadas entre Moro e autoridades nos tempos em que ele era juiz, abalando fortemente a imagem do até aí considerado herói na luta contra a corrupção.

As mensagens revelaram ao Brasil um outro Moro, ao mostrar que ele violou inúmeras vezes a lei e forjou situações para conseguir condenar os envolvidos no escândalo da operação Lava Jato. O mais famoso dos quais, o antigo presidente Lula da Silva, chegou a ficar preso 580 dias mas depois foi libertado pelo Supremo Tribunal Federal e teve as sentenças anuladas devido a erros e exageros de Moro.

Sérgio Moro Telegram Twitter Brasil Moro Lava Jato crime lei e justiça leis política
Ver comentários