Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Harvey Weinstein assume assédio, que considera ser um "padrão" na indústria cinematográfica

"Eu nasci pobre, feio, judeu e tive que lutar toda a minha vida para chegar a algum lado", disse o produtor.
14 de Julho de 2018 às 18:16
Harvey Weinstein
Harvey Weinstein
Harvey Weinstein entrega-se às autoridades em Nova Iorque
Harvey Weinstein entrega-se às autoridades em Nova Iorque
Harvey Weinstein
Harvey Weinstein
O produtor de cinema Harvey Weinstein
Harvey Weinstein é um dos produtores mais influentes de Hollywood e terá usado o seu poder para seduzir várias mulheres
Harvey Weinstein
Harvey Weinstein
Harvey Weinstein entrega-se às autoridades em Nova Iorque
Harvey Weinstein entrega-se às autoridades em Nova Iorque
Harvey Weinstein
Harvey Weinstein
O produtor de cinema Harvey Weinstein
Harvey Weinstein é um dos produtores mais influentes de Hollywood e terá usado o seu poder para seduzir várias mulheres
Harvey Weinstein
Harvey Weinstein
Harvey Weinstein entrega-se às autoridades em Nova Iorque
Harvey Weinstein entrega-se às autoridades em Nova Iorque
Harvey Weinstein
Harvey Weinstein
O produtor de cinema Harvey Weinstein
Harvey Weinstein é um dos produtores mais influentes de Hollywood e terá usado o seu poder para seduzir várias mulheres
Harvey Weinstein - o produtor de Hollywood que está no epicentro do escândalo de assédio sexual na indústria cinematográfica americana - admitu, após nove meses a declarar-se inocente, que assediou várias mulheres. Apesar da confissão, numa entrevista ao site americano Spectator, o produtor tenta justificar os seus atos dizendo que gestos semelhantes são "um padrão da indústria" e que "todos o faziam". 

"Sim, eu ofereci-lhes trabalho enquanto atrizes em troca de sexo, mas o mesmo aconteceu com todos os outros [produtores]", disse, alegando que tudo não passava de um "padrão" da indústria. 

Weinstein viu o seu nome manchado aos seu acusado por inúmeras caras de Hollywood, como Angelina Jolie, Gwyneth Paltrow ou Ashley Judd, de assédio sexual. São mais de 20 as mulheres que o denunciaram por comportamentos que se prolongaram durante décadas. O produtor teve de se afastar após ter estalado o escândalo, que deu origem à camapanha 'Me Too'. 

"Eu nasci pobre, feio, judeu e tive que lutar toda a minha vida para chegar a algum lugar. Nenhuma rapariga olhou para mim até eu ter feito sucesso em Hollywood", justificou o produtor. 

Apesar de admitir o assédio, Harvey sublinha que nunca forçou ninguém. 

Nos últimos meses, o produtor perdeu todo o seu legado e muitos são os que o consideram um "monstro".

A entrevista foi feita por um colunista do site, a pedido do próprio produtor. 

Libertado sob fiança
Harvey Weinstein foi libertado sob fiança no dia 9 de julho, em Nova Iorque. É suspeito de dezenas de crimes sexuais e o advogado calcula que deverão surgir mais acusações.

O produtor, de 66 anos, apresentou-se em tribunal no dia 9, em Nova Iorque, e declarou inocência perante novas acusações de crimes sexuais graves. No processo que corre em  Nova Iorque total, está acusado de seis crimes, como agressão predatória e violação, relacionados com três mulheres. "Lutamos contra estas batalhas um dia de cada vez, e hoje vencemos este combate", afirmou o advogado Ben Brafman à saída do tribunal, a propósito da libertação do produtor sob fiança.


Spectator Harvey Weinstein Ashley Judd Gwyneth Paltrow Hollywood Angelina Jolie política assédio
Ver comentários