Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Homem detido em flagrante com 61 quilos de heroína na costa norte de Moçambique

Outros membros do grupo fugiram quando se aperceberam da presença da polícia, alguns por terra e outros pelo mar.
Lusa 28 de Janeiro de 2021 às 18:01
Droga
Droga FOTO: Getty Images
As autoridades moçambicanas detiveram um homem de 37 anos na posse de 61 quilos de heroína e cinco de metanfetamina quando descarregava a droga na província de Nampula, norte de Moçambique, disse esta quinta-feira à Lusa fonte oficial.

O moçambicano foi detido em flagrante no sábado, quando, junto de outras cinco pessoas de nacionalidade tanzaniana, que fugiram, descarregava a droga na costa do distrito de Nacala Porto, disse Enina Tsinine, porta-voz do Serviço Nacional de Investigação Criminal (Sernic).

"Ele foi detido em flagrante delito. Estava do lado do continente a guarnecer a droga", 61 quilos de heroína e cinco de metanfetamina, explicou a porta-voz.

Segundo o Sernic, os outros membros do grupo fugiram quando se aperceberam da presença da polícia, alguns por terra e outros pelo mar, através da embarcação e, porque era madrugada, a polícia não os conseguiu localizar.

Mais tarde "a polícia costeira fez o patrulhamento para ver se encontrava algum vestígio da embarcação", mas sem "nenhum sucesso", referiu a porta-voz, acrescentando que se suspeita que a droga seja proveniente da Tanzânia.

De acordo com as autoridades, fontes que vivem nas proximidades da costa denunciaram um movimento estranho na região, o que colocou a polícia em alerta.

As fontes diziam haver estranhos que procuravam casas para arrendar e, às vezes, "outros chegavam por via marítima e descarregavam mercadorias que supostamente seguiam para Maputo", contou Enina Tsinine.

"O homem que detivemos confessou que já vinha fazendo este negócio há um tempo", referiu a porta-voz.

As autoridades suspeitam que se trata de uma rede de tráfico de droga, avançando que decorrem investigações.

Moçambique é apontado por várias organizações internacionais como um corredor para o tráfico internacional de estupefacientes.

De acordo com o Escritório das Nações Unidas para a Droga e Crime Organizado (UNODC), as autoridades do Quénia e Tanzânia, países a norte de Moçambique aumentaram a vigilância nos últimos anos, empurrando os traficantes para sul, em direção à costa moçambicana, "em busca de novas rotas e novos mercados".

Moçambique Enina Tsinine Nampula Sernic Tanzânia crime lei e justiça tráfico de droga
Ver comentários