Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Homem que tentou matar Ronald Reagan vai ficar em liberdade incondicional

Hinckley tentou matar Reagan, uma vez que acreditava que tal ato poderia chamar à atenção da atriz Jodie Foster, por quem tinha uma obsessão.
Correio da Manhã 27 de Setembro de 2021 às 18:50
John Hinckley Jr.
John Hinckley Jr. FOTO: Reuters

John Hinckley Jr., o homem que tentou matar o então presidente norte-americano Ronald Reagan, em 1981, vai ficar em liberdade incondicional em junho de 2022.

A informação, avançada pela CBS News, tem por base uma decisão de um juiz federal do Distrito de Columbia conhecida esta segunda-feira.

Hinckley tentou matar Reagan, uma vez que acreditava que tal ato poderia chamar à atenção da atriz Jodie Foster, por quem tinha uma obsessão.

O homem acabou por viver o resto da sua vida no hospital St. Elizabeths, em Washington DC, um espaço dedicado a doentes mentais, depois de os jurados terem declarado John como "inocente" devido a condições mentais.

O recluso teve direito a semanas com a família em 2007 e em 2016 foi lhe concedida liberdade condicional.

Para além do presidente, Hinckley atingiu ainda um polícia, um agente dos serviços secretos e o secretário de imprensa que ficou numa cadeira de rodas até morrer, 33 anos depois.

Segundo o advogado, Barry Levine, o seu cliente não pede desculpas, apelando à compreensão.

Hinckley não compareceu em tribunal, alegando que não está interessado "no ataque das câmaras" da comunicação social.

Ver comentários