Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Incêndio deflagra no metro do Rio de Janeiro em hora de ponta e causa pânico nos passageiros

Passageiros relataram que as carruagens em que estavam ficaram rapidamente cheias de fumo, deixando toda a gente em pânico.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 31 de Julho de 2021 às 16:06
Metro Rio de Janeiro
Metro Rio de Janeiro FOTO: José Eduardo de Araujo Nucci

Um incêndio que deflagrou na noite desta sexta-feira num dos túneis do Metropolitano da cidade brasileira do Rio de Janeiro provocou desespero entre os passageiros que lotavam as composições numa das horas de maior movimento, o regresso a casa, mas terminou sem vítimas. A circulação das composições em todas as linhas foi interrompida perto das 19h00 locais, 23h00 em Lisboa, para permitir o acesso e atuação dos bombeiros, mas o serviço foi normalizado às 5h00 deste sábado, 9h00 na capital portuguesa.

O fogo começou no trecho de túnel entre as estações Central do Brasil e Presidente Vargas, no centro da cidade. Os passageiros relataram que as carruagens em que estavam ficaram rapidamente cheias de fumo, deixando toda a gente em pânico, e o desespero foi ainda maior porque ninguém conseguia abrir as portas e saltar, o que, na verdade, evitou uma tragédia, porque as vias são eletrificadas.

Outros passageiros, que estavam em composições ao longo daquela linha e também noutros ramais, sendo que todos foram paralisados, descreveram que os comboios ficaram parados por mais de uma hora com as pessoas lá dentro, nas estações ou no meio de túneis, e que não houve qualquer aviso sonoro sobre o que estava a acontecer. Não obstante o enorme susto e as mensagens de pavor publicadas nas redes sociais por quem estava dentro das carruagens, de acordo com os Bombeiros e a administração do Metro, não houve feridos.

Quando os bombeiros foram chamados para atender a ocorrência e tentaram aceder à via pela Estação Central do Brasil, depois de desligada a energia, foram impedidos de chegar ao ponto exato do sinistro devido à densa camada de fumo que tomou conta de todo o túnel. Foi necessário primeiro realizar um trabalho de exaustão do fumo de forma mecânica para depois os bombeiros atingirem o ponto inicial do sinistro e apagarem as chamas, provocadas, é a primeira impressão, por um curto-circuito.

Após todas as carruagens e estações terem sido evacuadas e o acesso ao metropolitano suspenso, equipas técnicas iniciaram o reparo dos cabos danificados e restabeleceram o fornecimento de energia. Uma investigação vai ser iniciada para se apurar a origem do curto-circuito e se houve falha técnica ou humana.

Ver comentários