Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Longe da civilização, sem eletricidade ou água corrente: A vida de Ken Smith

Decisão de deixar tudo para viver por conta de si próprio teve origem num episódio trágico onde foi espancado por um grupo de criminosos.
Correio da Manhã 9 de Novembro de 2021 às 13:19
Ken Smith
Ken Smith FOTO: Direitos Reservados
Aos 74 anos, Ken Smith admite ter "uma boa vida". Ao longo dos últimos 40 anos, o homem tem vivido longe da civilização - a estrada mais perto do local onde reside fica a duas horas a pé -, sem eletricidade e água corrente. O estilo de vida de Ken levou Lizzie McKenzie, que o conheceu há nove anos, a filmar o seu dia a dia para um documentário da BBC, 'The Hermit of Treig'.

A decisão de deixar tudo para viver por conta de si próprio teve origem num episódio trágico. Aos 26 anos, foi espancado por um grupo de bandidos na noite. Como consequência do espancamento, sofreu uma hemorragia cerebral e perdeu a consciência durante 23 dias.

Os médicos chegaram mesmo a dizer que nunca mais iria recuperar. "Disseram que eu nunca mais falaria", atirou. "Foi quando decidi que nunca mais viveria nos termos de ninguém".

Ken iniciou uma jornada em viagens e acabou por se apaixonar pela ideia de viver num local deserto. Durante o tempo que esteve fora de casa, os pais morreram e acabou por só descobrir quando voltou, mais tarde, ao local que o tinha visto crescer.

Foi no Reino Unido que encontrou o seu 'lugar seguro'. Nas Terras Altas da Escócia, enquanto chorava a morte dos pais, olhou ao redor e foi na floresta que encontrou a sua nova casa. Começou por construir cabanas com a madeira que recolhia e, agora, quatro décadas depois, a cabana onde reside tem uma lareira, mas continua sem eletricidade, gás ou água corrente.

Para sobreviver, Ken cultiva vegetais e procura fruta na floresta. Mas a principal fonte de alimento vem do lago onde normalmente pesca. "Se queres aprender a ter uma vida independente, precisas de aprender a pescar", referiu em declarações para o documentário da BBC.

Mas, entre as coisas boas de viver afastado de tudo, existem também alguns problemas que se vão colocando pelo caminho na vida de Ken. Dez dias depois de Lizzie ter deixado a cabana e as gravações para o documentário, o homem de 74 anos sofreu um derrame enquanto caminhava na neve. Foi um sinalizador de localização pessoal através de GPS, que recebera dias antes, que acabou por salvar a vida de Ken.

Depois do susto, Ken tem agora outros cuidados e, apesar de ter recusado voltar a viver numa casa com condições, tem agora algumas pessoas que o ajudam e lhe entregam comida. 

"Não estamos na terra para sempre. Vou estar aqui até aos meus últimos dias chegarem", concluiu o homem que deixou tudo para viver uma vida longe dos problemas do Mundo.
BBC Ken Smith Lizzie McKenzie questões sociais economia negócios e finanças agricultura e pescas eremita
Ver comentários