Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Mafioso passou 18 anos à vista

Um dia após a detenção de um dos mafiosos mais procurados, os italianos perguntavam-se como foi possível Pascuale Condello, líder da Ndrangheta (máfia calabresa) permanecer durante 18 anos na sua cidade natal, Reggio Calábria, sem ser incomodado.
20 de Fevereiro de 2008 às 00:30
A polícia apanhou Condello, de 57 anos – condenado quatro vezes a prisão perpétua – numa casa do bairro Pellaro, naquela cidade do sul de Itália. Embora estivesse armado e acompanhado por três seguranças, não ofereceu resistência.
A captura foi saudada por todos os sectores políticos, mas alguns salientaram o facto de as máfias disporem de “redes secretas que permitem aos seus chefes permanecerem na liderança sem problemas” apesar do cerco policial.
Fontes da investigação afirmam que no esconderijo de Condello foram encontrados códigos tão complexos que fazem parecer amador o sistema de comunicação codificada usado a partir da prisão por Bernardo Provenzano. O líder máximo da máfia siciliana, detido em 2006, foi celebrizado pelo romance ‘O Padrinho’, de Mario Puzo.
Ver comentários