Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Mãe de militar que morreu em Cabul culpa eleitores que votaram em Biden pela morte do filho

Rylee era um fuzileiro naval de 20 anos que estava a três semanas de ser pai.
Correio da Manhã 29 de Agosto de 2021 às 20:58
Rylee McCollum, militar norte-americano
Rylee McCollum, militar norte-americano FOTO: Direitos Reservados
"Mataram o meu filho". Estas são as palavras da mãe de um dos 13 militares norte-americanos que morreram no ataque ao aeroporto de Cabul, no Afeganistão. 

Para Kathy McCollum, mãe de Rylee, um fuzileiro naval de 20 anos que estava a três semanas de ser pai, a culpa pela morte prematura do filho está em quem votou em Joe Biden para presidente dos Estados Unidos. 

No programa "The Wilkow Majority" apresentado por Andrew Wilkow na rádio SiriusXM, Kathy culpa o presidente "dominado pela demência" pelo que está a ocorrer no Afeganistão. 

"Vinte anos e seis meses de idade, preparando-se para ir para casa para estar com a esposa e assistir ao nascimento do filho, e aquele pedaço de m**** cheio de demência simplesmente enviou o meu filho para morrer," disse a mulher.

Kathy acrescenta ainda: "Eu só quero que todos vocês [saibam], democratas, que defraudaram a eleição, ou que votaram nele legitimamente, [vocês] acabaram de matar o meu filho".

Os donativos para a viúva de Rylee McCollum e para o filho ainda não nascido do militar aumentaram para quase 500 mil dólares, aproximadamente 423 mil euros, na manhã deste domingo, avançou a Associated Press.
Afeganistão Joe Biden Cabul Kathy McCollum Rylee McCollum questões sociais distúrbios guerras e conflitos
Ver comentários