Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Menina de 11 anos sobrevive a ataque que matou pai, irmão e avó ao fingir-se de morta

Sobrevivente teve de passar por quatro cirurgias devido a dez ferimentos.
Correio da Manhã 9 de Setembro de 2021 às 10:10
Bryan Riley foi atirador furtivo do exército dos Estados Unidos
Bryan Riley foi atirador furtivo do exército dos Estados Unidos FOTO: Redes sociais
Uma rapariga de 11 anos sobreviveu a um ataque no estado da Flórida, nos Estados Unidos, ao fingir estar morta, segundo as autoridades americanas. O pai, a madrasta, o irmão de três meses e a mãe da madrasta morreram no ataque.

"Ela disse aos nossos detetives: acredito que estou viva porque fingi estar morta e rezei", disse Grady Judd, xerife do condado de Polk, citado pela CBS News

A vítima está internada no Hospital de Tampa em condição estável. Segundo a família, já passou por quatro cirurgias devido a dez ferimentos, mas está alerta, lê e escreve. 

Bryan Riley, um antigo atirador furtivo do exército dos Estados Unidos, atacou a família em casa, na cidade de Lakeland, e entregou-se à polícia após um intenso tiroteio.




Florida Estados Unidos Bryan Riley crime lei e justiça crime homicídio Theresa Lanham Justice Gleason
Ver comentários