Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Menino de 3 anos acusava o pai de matar a mãe. Aos 24 anos descobre o corpo e prova crime

Menino dizia que "o papá tinha feito mal à mamã", mas ninguém acreditou.
11 de Abril de 2019 às 11:11
Adolescente
Justiça
Justiça
Adolescente
Justiça
Justiça
Adolescente
Justiça
Justiça
Um homem da Flórida, nos Estados Unidos, desenterrou os restos mortais da mãe que estava desaparecida desde 1993. A progenitora desapareceu quando Aaron tinha apenas três anos e, na altura, a criança alegava que o seu pai tinha matado a mãe. 

Ninguém acreditou no que o menino dizia, que referia que "o papá tinha feito mal à mãe", até que, já com 24 anos, Aaron descobriu os restos mortais da mãe, Bonnie Haim, quando fazia remodelações à casa, em 2014. 

Michael Haim está a ser acusado de ter matado a mulher porque esta tinha planos de o deixar e levar o menino. 

O homem foi sempre suspeito para a polícia, mas, na ausência do corpo, os investigadores não conseguiram ter um caso sólido

Haim declarou-se inocente de homicídio em segundo grau.

Fraser disse, em criança, a uma funcionária da creche: "O papá fez mal à mamã", de acordo com a polícia

A criança, atualmente já um homem, foi criado por pais adotivos. Fraser encontrou o crânio de Bonnie Haim quando demoliu uma piscina atrás da sua casa de infância, debaixo do cimento. Testes de ADN confirmaram que os restos mortais eram de Bonnie Haim.
Flórida Estados Unidos Aaron Bonnie Haim Michael Haim Fraser ADN
Ver comentários